Mais de 90 pessoas, a maioria mulheres, são presas durante protestos em Belarus


Manifestações no país começaram no início de agosto, quando o presidente Alexander Lukashenko foi reeleito pela 6ª vez. Eleição é considerada fraudulenta pela oposição. Mulheres protestam contra governo de Alexandre Lukashenko, em Minsk, capital da Belarus
AP
Mais uma manifestação reuniu centenas de pessoas em Minsk, capital de Belarus, neste sábado (26), para protestar contra o presidente Alexander Lukashenko. Mais de 90 foram presas, a maioria mulheres.
Um grupo de mulheres gritava “Nosso presidente é Sveta!”, referindo-se ao político da oposição, Svetlana Tijanóvskaya, que muitos dizem ter ganho a disputa eleitoral.
Mulheres voltam às ruas em Belarus; polícia prende manifestantes
Entre os presos está Nina Baginskaya, de 73 anos, que se tornou símbolo da resistência contra o governo. Um policial arrancou uma bandeira das mãos dela e depois a arrastou para uma van, de acordo com a Reuters.
Símbolo da resistência, Nina Bahinskaya, de 73 anos, é presa durante a manifestação em Minsk
AP
Crise em Belarus
Os manifestantes acusam Lukashenko de fraude na eleição, que aconteceu em 9 de agosto. Ele foi reeleito pela 6ª vez. Desde então, uma onda de protestos acontece no país e mais de 7 mil pessoas foram detidas. A maioria delas já foi liberada.
Na quinta-feira (24), a União Europeia (UE) descartou reconhecer Alexander Lukashenko como presidente de Belarus, informou o chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell.
Vídeos: veja mais notícias internacionais

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line