Mais de 70% dos alunos da Unifap querem retomar aulas de forma on-line; 22,5% não têm internet


Pesquisa foi realizada por comissão especial entre os dias 20 e 28 de agosto com os docentes, discentes e técnico-administrativos da universidade. Campus Mazagão da Universidade Federal do Amapá (Unifap)
Unifap/Divulgação
Há quase 6 meses com as atividades paradas pela pandemia de Covid-19, a Universidade Federal do Amapá (Unifap) considera retomar as aulas, de forma gradual e online. Uma Comissão Especial foi montada para avaliar e pesquisar, entre os dias 20 e 28, o que pensam professores, técnicos e alunos. Entre os estudantes, 72% consideram possível a retomada das aulas de forma online.
De 7 mil alunos, 3,7 mil responderam ao questionário da comissão, representando 54% do total. Destes, 22,5% alegaram não ter acesso à internet e 25,1% disseram não ter computador em casa.
A universidade tem campi em Macapá, Santana, Mazagão e Oiapoque. O relatório da comissão também levantou que 94% dos estudantes entrevistados possuem celular, cerca de 3,5 mil alunos.
Professora Danielle Guimarães, presidente da Comissão Especial de Retorno das Atividades
Caio Coutinho/G1
De acordo com professora Danielle Guimarães, presidente da Comissão Especial de Retorno das Atividades, há uma divisão em 8 subcomissões que tratam de discutir temas como internet, infraestrutura e ensino e trabalho remoto.
“A maioria dos alunos pode continuar com o calendário letivo de forma remota, mas a minoria que não pode, tem um ponto muito importante: esses alunos estão no interior do estado, onde a internet é precária. Temos uma previsão para reunir o Conselho Superior da Unifap e apresentar o relatório da comissão até o dia 6 de outubro”, detalhou.
A professora frisou que é o Conselho Superior que homologa e delibera decisões e deve apreciar e modificar, até aprovar uma resolução.
Ela também afirmou que, mediante aprovação da continuação do calendário acadêmico de forma on-line, a universidade deve dar o suporte para alunos sem condições de estudar virtualmente.
Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá
Leitores On Line