Kim Kardashian congela contas no Facebook e Instagram em protesto contra discurso de ódio


‘A desinformação compartilhada nas redes sociais tem um impacto grave em nossas eleições e mina nossa democracia’, escreveu ela. Kim Kardashian posa para foto no MTV Video Music Awards 2016, em Nova York
REUTERS/Eduardo Munoz/File photo
Kim Kardashian West vai congelar suas contas no Facebook e no Instagram a partir de quarta-feira (16), como parte de uma campanha para que as redes sociais impeçam a disseminação do ódio e da desinformação.
“A desinformação compartilhada nas redes sociais tem um impacto grave em nossas eleições e mina nossa democracia”, escreveu ela nesta terça-feira (15) em uma publicação no Instagram, ao se juntar à campanha “Stop Hate for Profit”, que tem pressionado o Facebook a remover o discurso de ódio.
Initial plugin text
A campanha, lançada em 2020, ganhou o apoio de dezenas de grandes empresas e celebridades em um boicote publicitário contra a gigante da mídia social.
Kardashian West, mulher de negócios e estrela de reality show, se tornou uma influente defensora da mudança social nos últimos meses, levando a questão da mudança climática para seus milhões de seguidores e fazendo lobby na Casa Branca para a reforma da justiça criminal dos Estados Unidos.
Com 188 milhões de seguidores no Instagram, Kardashian West tem uma das 10 contas mais seguidas em todo o mundo.
O Facebook não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.
A empresa tem afirmado que vai se juntar a grupos de direitos civis e especialistas para desenvolver mais ferramentas de combate ao discurso de ódio.
Outras celebridades e atores, incluindo Kerry Washington, Jennifer Lawrence e Sacha Baron Cohen, também tuitaram nesta terça pedindo ao Facebook que faça mais para impedir a disseminação de desinformação.
Leitores On Line