Justiça britânica reconhece Guaidó como ‘presidente’ em caso de ouro da Venezuela

Banco Central da Venezuela tinha pedido desbloqueio de mais de 30 toneladas de ouro para o combate à pandemia de Covid-19. Um juiz britânico determinou nesta quinta-feira (2) “inequívoco” o reconhecimento de Juan Guaidó como “presidente interino” da Venezuela, em um julgamento sobre mais de 30 toneladas de ouro venezuelano depositadas no Banco da Inglaterra (BoE). O governo de Nicolás Maduro teve o acesso impedido ao ouro, que é avaliado em US$ 1 bilhão.
“O governo britânico reconhece o senhor Guaidó na capacidade de presidente constitucional interino da Venezuela” e “em virtude da doutrina de ‘uma única voz’ o tribunal deve aceitar esta declaração como inequívoca”, escreveu o juiz Nigel Teare em sua decisão.
A direção do Banco Central da Venezuela, presidida por Calixto Ortega, que pediu o desbloqueio do ouro em maio para financiar o combate à pandemia de Covid-19. O BoE afirma, no entanto, que o ouro está bloqueado entre esta direção do BCV e outra rival, nomeada por Guaidó, que escreveu duas vezes às autoridades britânicas para pedir que rejeitem o pedido.
Banco Central da Venezuela já anunciou que irá recorrer. “O Banco Central da Venezuela pedirá permissão ao tribunal para apelar esta sentença, por considerar que ignora por completo a realidade da situação no terreno”, afirmou em nota o advogado Sarosh Zaiwalla.
Ouro bloqueado
O opositor Guaidó, presidente da Assembleia Nacional, autoproclamou-se presidente interino da Venezuela em janeiro de 2019 e recebeu o reconhecimento de 50 países que rejeitam a legitimidade do governo Maduro.
Entre estes países está o Reino Unido. O então ministro das Relações Exteriores, Jeremy Hunt, afirmou em fevereiro de 2019 que “a opressão do regime ilegítimo e cleptocrático [governado por ladrões] de Maduro deve terminar”.
Desde então, e apesar dos múltiplos esforços de Caracas, o Banco da Inglaterra não responde ao pedido de repatriamento de mais de 30 toneladas de ouro, que a Venezuela, como vários outros países, mantém na instituição.

COM AGÊNCIAS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.