Jovens criam projeto para ajudar alunos sem internet a estudarem para o Enem

Quatro amigas que se formaram no Ensino Médio há dois anos se uniram na criação de um projeto para ajudar estudantes da rede pública a estudarem para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Uma das idealizadoras, a universitária Julia Sayão, de 19 anos, explicou ao EXTRA que a iniciativa começou na Rocinha, na Zona Sul do Rio, e já se expandiu para outras comunidades da cidade.

Devido à pandemia, o ensino ficou à distância, mas as oportunidades de aprendizado são distintas. Afinal, um quarto dos brasileiros (47 milhões de pessoas) não tem acesso à internet, de acordo com a pesquisa TIC Domicílios 2019, divulgada em 26 de maio pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil. Exatamente um mês depois, Julia, junto com Isabella Salvador, de 20 anos, Sofia Baez e Giulia Gontijo, ambas de 19 anos, tiveram a ideia do projeto AprovEnem.

— Como o projeto tem o objetivo de ser acessível para todos, vamos disponibilizar apostilas impressas com todo conteúdo teórico necessário e exercícios com provas passadas do Enem de 2016 a 2019. E, para os que têm acesso à internet, vamos divulgar uma plataforma online gratuita feita para alunos da rede pública que estão nessa fase de se preparar para o Enem — descreveu.

Pandemia: ‘Não estou me sentindo uma estudante’: alunos reclamam do ensino on-line

A jovem afirmou que o projeto já conta com apoio de professores, pedagogos, psicólogos e amigos voluntários que se disponibilizaram a tirar dúvidas em forma de monitoria e a também corrigirem redações, considerando a importância que os textos têm na nota final da prova.

— Por conta da pandemia, a rede de ensino adotou um sistema de aulas remotas, mas os alunos da rede pública foram muitos prejudicados, principalmente aqueles que não possuem acesso à internet ou que possuem um acesso limitado, porque para assistir a videoaulas ou aulas ao vivo é preciso ter uma internet de qualidade — disse Julia.

Até o momento, estão sendo beneficiados cerca de 35 estudantes, mas Julia frisou que inscrições seguem abertas para estudantes em preparação para o Enem, cujas datas das provas impressas foram confirmadas pelo Ministério da Educação (MEC) nos dias 17 e 24 de janeiro de 2021. Já o Enem digital, feito em forma de projeto-piloto, será em 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

— E gente espera muito que esse número cresça com a divulgação — completou. — O projeto visa a não só disponibilizar todo o conteúdo necessário para um estudo independente, como também dar apoio emocional a esses estudantes para que juntos possamos construir uma oportunidade de transformação. Para isso, temos ajuda de pedagogos e psicólogos que se dispuseram a apoiar esse acompanhamento. Essa foi a forma que a gente pensou de ajudá-los nessa questão emocional, que é uma das partes mais importantes quando se trata de uma prova como o Enem.

Julia contou ainda que será preparado um cronograma de estudos, estabelecendo metas, compromissos, que estejam de acordo com a rotina e as necessidades dos estudantes.

Segundo as idealizadoras do AprovEnem, os interessados em contribuir para o desenvolvimento do projeto podem ser ajudar financeiramente para a impressão das apostilas, ou de forma gratuita, através das redes sociais, divulgando as páginas para que mais pessoas conheçam a iniciativa.

Com Agências