Um incêndio na Serra Fina, que faz parte da Serra da Mantiqueira, tem mobilizado as equipes do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar nesta sexta-feira (17), além de muitos brigadistas voluntários. O fogo atingiu a Pedra da Mina, considerado o quarto pico mais alto do Brasil e o mais alto do estado de São Paulo, e segue de alastrando numa velocidade assustadora.

A Serra Fina atravessa os estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. O fogo começou no território mineiro e, no início da manhã de sexta-feira, atingiu a área paulista. Foi instalado um Posto de Comando do Corpo de Bombeiros em Cruzeiro e, de lá, os bombeiros estão sendo transportados no helicóptero Águia até a região do incêndio. O acesso por terra leva cerca de dois dias de caminhada.

Vejam nossos Bombeiros do 11°GB, região do Vale do Paraíba, combatendo um Incêndio com proporções gigantescas na Serra Fina, localizada próximo a Serra da Mantiqueira. Local de difícil acesso e bastante alto, com mais de 2400 metros de altura, é um desafio aos nossos bombeiros que não param de tentar conter a chama que se alastra. . . . . . . . #incendio #salvamento #Montanha #fogo #bombeiros #firefighter #prayforaustralia #fogoemmato #mata #queimada #crime

Vejam nossos Bombeiros do 11°GB, região do Vale do Paraíba, combatendo um Incêndio com proporções gigantescas na Serra Fina, localizada próximo a Serra da Mantiqueira. Local de difícil acesso e bastante alto, com mais de 2400 metros de altura, é um desafio aos nossos bombeiros que não param de tentar conter a chama que se alastra. . . . . . . . #incendio #salvamento #Montanha #fogo #bombeiros #firefighter #prayforaustralia #fogoemmato #mata #queimada #crime Uma publicação compartilhada por Corpo de Bombeiros da PMESP (@corpodebombeirosdapmesp) em 17 de Jul, 2020 às 2:16 PDT

De acordo com os bombeiros, as equipes que trabalham desde sexta obtiveram sucesso em extinguir o incêndio em torno do acampamento, e aguardavam o transporte aéreo para um novo ponto de combate ao incêndio florestal, onde o acesso é difícil.

Cerca de 60 bombeiros militares foram escalados para atuar no combate ao incêndio neste sábado, além de um helicóptero águia e outro destinado ao transporte da tropa.

De acordo com uma brigadista, uma demanda urgente para o momento seria a liberação de um avião da FAB que consiga jogar centenas de litros de água nas áreas críticas, reduzindo o tempo de contenção do incêndio e diminuindo o estrago causado na montanha. “A linha do fogo já tem alguns quilômetros de extensão através da montanha e avança numa velocidade impressionante”, diz a voluntária Karine Variane Angelini.

Além de bombeiros, muitos brigadistas voluntários estão somando esforços para tentar conter o incêndio, maior do que em anos anteriores. Os voluntários estão trabalhando no apoio logístico, transportando equipamentos, abrigos e suplementos para os brigadistas. De acordo com o Alta Montanha, voluntários informaram que os principais focos de incêndio estão concentrados no alto do Enganador e nas bases das montanhas Tartarugão e Pedra da Mina, no vale da Cachoeira Vermelha.

A origem do incêndio ainda é desconhecida, embora moradores locais tenham avistado balões pouco antes do incêndio. Este ano a temporada está particularmente seca na Mantiqueira, o que favorece a propagação de incêndios. Vale lembrar que fazer fogueiras em áreas de proteção ambiental é proibido por lei, assim como soltar balões é um crime ambiental (Lei nº 9.605/98).

Os bombeiros estão se revezando em turnos e trabalhando sem pausa na contenção do fogo. O Comando de Aviação da Polícia Militar alocará dois helicópteros em tempo integral para apoio ao Corpo de Bombeiros.