Imprensa portuguesa isenta Jorge Jesus de culpa pela eliminação do Benfica na Liga dos Campeões

Quando o jogo acabou, já era noite em Portugal, tarde no Brasil. Pelo placar de 2 a 1, o PAOK, da Grécia, eliminara o Benfica, do técnico Jorge Jesus pela terceira etapa eliminatória da Uefa Champions League, fazendo água no maior objetivo do ex-treinador do Flamengo, antes mesmo de adentrar a fase de grupos, quando se reúnem as melhores equipes da Europa em busca da “orelhuda”.

O Mister parece estar parece estar com moral perante a imprensa local. Nos maiores periódicos do país europeu, não se vê qualquer menção crítica ao treinador.

No “A Bola”, a edição virtual destaca a queda do clube da Luz e algumas falas do treinador na coletiva pós jogo, como o pensamento de canalizar o desejo de um título internacional, que era na Champions, agora, pela a Liga Europa.

Já o Record, outro grande veículo lusitano, destaque em seu site para a fala de JJ.

— Ganhou o PAOK e futebol é isto — disse o português.

Teve, na verdade, grande repercussão em todos os sites foram críticas feitas à diretoria do clube de Lisboa após a eliminação. Bruno Costa Carvalho, um dos quatro candidatos à presidência do Benfica, agendadas para outubro, reagiu nas redes sociais à eliminação.

— Grande exibição de Cavani — em tom irônico a especulação de que a atual diretoria contrataria o craque uruguaio Edinson Cavani, de 33 anos, que, atualmente, está sem clube.

Leitores On Line