Imbituba: após denúncias, Procon fiscaliza supermercados e atacadista para coibir aumento abusivo nos preços na pandemia; arroz variou 266%

Em meio a pandemia do novo coronavírus e, por conta de inúmeras denúncias feitas por moradores de Imbituba, a diretoria do Procon municipal realizou, na última semana, uma pesquisa de preços em mercados, atacadistas e supermercados da cidade. Foram analisados 51 itens da cesta básica do consumidor.
Estabelecimentos de todas as regiões da cidade receberam a visita dos fiscais do órgão municipal. Dos produtos analisados, cinco chamaram a atenção por estarem, frequentemente, nos lares dos imbitubenses: arroz, feijão, óleo de soja, açúcar e café.
O quilo do arroz foi registrado com preços entre R$ 1,99 e R$ 7,29. Um aumento superior a 266%. Já o feijão, no pacote de um quilo, foi encontrado com valores entre R$ 5,99 e R$ 9,83. Isso representa uma variação de 64% entre um supermercado e um mercado de bairro.
O óleo de soja foi outro item que apresentou subida considerável. A garrafa de um litro foi registrada com valores entre R$ 4,99 e R$ 10,99 (aumento superior a 120%). O açúcar também teve alta entre os locais visitados. O quilo foi encontrado a R$ 1,95 e a R$ 3,59 (84% de aumento). E o quilo café ficou entre R$ 5,99 e R$ 11,99 (alta de 100%).
“Com o resultado da pesquisa, enviaremos ofícios aos mercados e supermercados fiscalizados. Os mesmos terão que nos enviar as notas fiscais de compra e o relatório de venda dos produtos. O nosso objetivo é impedir a elevação abusiva de preços sem justa causa, como determina o Código de Defesa do Consumidor (CDC)”, enfatizou a Diretoria do Procon de Imbituba, Michelle Furtado.

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line