Idosos que se livraram da covid agora batalham na reabilitação

Em uma ação inovadora no estado, a secretaria de Saúde de Balneário Camboriú iniciou essa semana o atendimento de fisioterapia domiciliar para idosos que se restabeleceram da covid-19. O projeto é da coordenação de fisioterapia da secretaria e tem como meta atender cerca de 50 idosos por semana, com um tratamento que visa recuperar a força muscular periférica e respiratória dessas pessoas.

De acordo com a coordenadora do projeto, Ana Carolina Zanchet, a proposta do atendimento domiciliar surgiu para dar continuidade ao trabalho realizado dentro do centro de covid. Os pacientes que estão internados recebem acompanhamento dos fisioterapeutas com atividades que buscam minimizar os danos causados pela doença e pela internação.

“Por conta da medicação, do ambiente hospitalar, onde eles ficam muito tempo deitados, muitos acabam tendo uma diminuição da força nos braços, nas pernas, de musculatura da respiração, e isso atrapalha para realizar tarefas diárias em casa. O objetivo da fisioterapia é devolver essa funcionalidade, melhorar a força de pulmão, da respiração”, comenta Ana Carolina.

Para dar início ao projeto, foram contatados 44 idosos que estiveram internados no centro de covid e receberam alta. Além deles, outros idosos moradores de Balneário que tiveram a doença, mas foram internados em outros hospitais, também podem solicitar o atendimento domiciliar em uma unidade de saúde do município.

Nessa primeira semana foram realizadas visitas para uma avaliação de cada caso. Com base nos testes feitos, será possível realizar um atendimento personalizado de acordo com a necessidade de cada um. Eles receberão pelo menos duas sessões por semana até que os profissionais entendam que o paciente está recuperado.

Ana destaca ainda que o acompanhamento pós-covid é importante para outras áreas da saúde. Ela conta que muitos pacientes apresentam sintomas de depressão, por exemplo, e serão encaminhados para o Programa Abraço. As famílias também têm se mostrado bastante receptivas às visitas dos fisioterapeutas e enxergam assim uma forma de motivar os idosos a retomarem as atividades do dia a dia.

Seu Humberto dá uma lição de vida

Aos 79 anos de idade, seu Humberto Rancati ficou 28 dias internado no centro de covid. Por pouco não precisou ser entubado, mas com força de vontade e o apoio do corpo médico e dos fisioterapeutas, recebeu alta no final de agosto.

Com muito bom humor, ele recebeu a primeira visita domiciliar nessa quarta-feira, e não poupou esforços para fazer todas as avaliações da melhor forma possível. Ele chega a se emocionar ao falar do atendimento que recebeu quando estava internado e ao reencontrar os fisioterapeutas que o ajudaram no hospital.

“Eu via aquele povo trabalhando (no Centro Covid) e não tem como descrever em palavras, é por amor e satisfação o que eles fazem. Eu fiquei ruim, mas eu tinha uma coisa por dentro de mim: ‘tenho que vencer’. Eles me ajudavam, faziam tudo que era necessário, foi excelente. Além da força do tratamento, da medicação, a força emocional é muito importante. Eles me davam uma palavra de ânimo. Agora a cada dia me sinto mais forte. Não tenho dor nenhuma, estou que nem um guri novo”, brinca.

Leitores On Line