Hotel onde turista morreu em tirolesa pode continuar operando, diz prefeitura de Serra Negra


Polícia Civil instaurou inquérito para apurar a morte de Thiago Leite, de 35 anos, no domingo; segundo relato de testemunha, ele atingiu um poste na descida. Thiago Leite, de 35 anos, morreu após acidente em tirolesa em hotel de Serra Negra (SP)
Reprodução
A Prefeitura de Serra Negra (SP) informou nesta terça-feira (15) que o hotel fazenda onde um turista de Limeira (SP) morreu no domingo (13), após acidente em uma descida de tirolesa, pode continuar funcionando. Segundo a administração, o Corpo de Bombeiros esteve no local e identificou que o estabelecimento possui alvará de funcionamento.
De acordo com a administração, a exceção é apenas para a área da tirolesa, interditada pela Polícia Civil desde o acidente – o equipamento foi removido e enviado à perícia. “A Prefeitura aguardará a conclusão das investigações conduzidas pela Polícia Civil”, diz a nota.
O operador de máquina Thiago Leite, de 35 anos, estava hospedado com a família no Hotel Akropolis. Segundo o cunhado da vítima, no registro da ocorrência, Thiago teria descido em velocidade extrema e bateu em um poste de madeira. O Samu chegou a ser acionado, mas ele morreu antes de dar entrada no hospital.
No relato da testemunha à Polícia Civil, ela conta que os funcionários responsáveis pelo brinquedo “não teriam conferido as presilhas de segurança e, após Thiago bater contra o poste, teriam discutido, dizendo quem um deveria estar no local para frear a tirolesa”.
Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) de São Paulo informou que a delegacia de Serra Negra abriu inquérito para apurar os fatos.
“Os laudos do local e necroscópicos estão em andamento e quando concluídos serão analisados pela autoridade policial. As diligências prosseguem para esclarecer a morte”, diz a pasta.
O G1 tentou contato com o Hotel Akropolis, mas não obteve retorno. O corpo de Thiago Leite foi sepultado nesta terça, em Limeira.
Veja mais notícias da região no G1 Campinas
Leitores On Line