Hospital São José, em Joinville, ganha consultório odontológico para pacientes com câncer

Os pacientes oncológicos do Hospital Municipal São José, em Joinville, acabam de ganhar um reforço para a saúde: um consultório odontológico foi montado na unidade para atender às pessoas que estão em tratamento contra o câncer.

Segundo a prefeitura de Joinville, o consultório conta com dois profissionais — um cirurgião dentista e um auxiliar de saúde bucal —, permitindo um atendimento de 30 horas semanais. Os investimentos em mobiliário e equipamentos da estrutura somam R$ 28 mil. Com o consultório, os pacientes não precisam mais ser direcionados a outras unidades de saúde.

Consultório odontológico deve beneficiar pacientes em tratamento contra o câncer – Foto: Divulgação/ND

São atendidos, principalmente, pacientes com câncer nas regiões da cabeça e do pescoço, hematológicos ou quando o tratamento de outros tumores malignos traz alguma consequência para a cavidade oral.

“O objetivo é melhorar a qualidade de vida desse paciente, diminuindo o sofrimento, acolhendo e adequando a boca para uma condição mais saudável. Com o tratamento odontológico integrado, em alguns casos, conseguimos diminuir o uso de medicamentos e o tempo de internação. A boca pode ser a porta de entrada de muitas infecções e piorar a gravidade da doença. Uma assistência odontológica especializada, resolutiva e humanizada contribui para a cura e a qualidade de vida e melhora a autoestima das pessoas”, explica o cirurgião dentista, Sérgio Fortuna.

Segundo ele, a inclusão da odontologia é fundamental para a prevenção e tratamento dos efeitos adversos do tratamento oncológico na cavidade bucal e também no preparo prévio da boca e dos dentes para receber o tratamento oncológico independentemente do tipo: cirúrgico, quimioterápico ou radioterápico.

Uma das técnicas utilizadas no tratamento odontológico dos pacientes da área de oncologia é a laserterapia. Ela é utilizada quando as glândulas salivares são afetadas durante o tratamento contra o câncer, causando diminuição da produção de saliva e da imunidade e aumentando o risco de infecções por bactérias, vírus ou fungos.

Com a laserterapia, as feridas que podem aparecer são cicatrizadas mais rápido, a quantidade de lesões diminui e as dores são minimizadas.

 “Está comprovado cientificamente que o uso preventivo e terapêutico do laser de baixa potência nestes pacientes reduz este quadro de dor, modula a inflamação e acelera o processo de cicatrização, diminuindo muito a severidade desta lesão”, conclui Fortuna.

Leitores On Line