Homofobia: Expulso de coral da igreja por ser gay, jovem ganha chuva de amor de LGBTs na web

Gabriel, um integrante do coral de sua igreja que cantava em cultos semanais, foi alertado para deixar o grupo pelos líderes religiosos locais. O motivo? Homofobia! “Descobriram que eu estava usando roupas com temática do Orgulho LGBT“, contou o próprio adolescente gay à KETV, uma afiliada da ABC em Omaha, nos Estados Unidos.

“Eles me disseram que não gostariam que eu promovesse coisas que eles são contra”, disse o aluno da oitava série e natural de Lincoln.

A mãe de Gabriel, Colleen, postou sobre a experiência de homofobia vivenciada pelo seu filho. “Foram algumas horas de tristeza, mas felizmente logo após publicar a história na Internet, ele ganhou muito apoio e solidariedade”, disse ela. “Foi surreal o quão positivo se tornou!”, contou Colleen, que inicialmente temeu que a rejeição abalasse o filho.

Uma enxurrada de apoio chegou até ele depois que a história viralizou e não apenas digital. Acontece que a organização Drag Queen Story Hour Nebraska pediu em seu Facebook que as pessoas enviassem cartas de apoio para Gabriel.

Gabriel e sua mãe: após a homofobia, muito apoio e amor. (Foto: Reprodução / KETV)
Gabriel e sua mãe: após a homofobia, muito apoio e amor. (Foto: Reprodução / KETV)

“Vamos encher Gabriel de AMOR”, dizia o post do dia 4 de setembro. “Vamos deixar Gabriel saber que ele é amado. Vamos deixá-lo saber que TUDO MELHORA … e que ele NÃO está sozinho. Vamos inundar sua casa com todos os cartões e cartas que pudermos reunir!”

As cartas começaram a chegar. Pessoas de todas as idades, LGBTQ + e heterossexuais cisgêneros aliados mandaram mensagens de amor e contra a homofobia para Gabriel. Um era de um professor LGBT: “Sou professor e tenho alunos que me amam e admiram”, dizia a mensagem. “Às vezes, são crianças como você que precisam ensinar umas coisas aos adultos.”

Frank Roark, o dono da Goldenrod Printing em Lincoln, chegou a criar 500 cartões impressos com “O amor nunca está errado”, uma citação de Melissa Etheridge, e os deu de graça para aqueles que queriam enviar uma carta a Gabriel.

A mãe do garoto parou para agradecer a Roark por sua gentileza: “Você pegou o que poderia ter sido uma das piores experiências da vida dele – o caso de homofobia – e transformou-as em uma das melhores possíveis”, disse ela.

A experiência também deixou sua marca em Gabriel. Sobre todo acontecido, ele refletiu à reportagem: “Há muitas coisas boas no mundo e algumas coisas ruins no mundo”, disse ele. “Mas quando vem o mal, vem o bom também.”