Homem de 57 anos é deserdado pelo pai de 90 anos após se assumir gay: “Não apareça mais!”

Jake McPherson ainda se lembra da hora e data em que seu pai de 90 anos o deserdou no início deste ano. Era 4 de janeiro, às 9h56, quando ele recebeu um telefonema dele dizendo para não entrar em contato nunca mais. Sua história foi contada pela OUT Magazine e traduzimos aqui.

“É por conta da minha homossexualidade”, explica McPherson. Ele escreveu sobre o acontecido em um artigo para o Huffington Post. Seu pai lhe disse ao telefone: “Sua mãe e eu não podemos tolerar isso. Você não deve nos contactar de forma alguma, nunca mais. ”

Quando criança, McPherson sempre soube que vivia com uma família homofóbica. Enquanto assistia a Barbara Walters entrevistando a famosa homofóbica dos anos 70, Anita Bryant, seu pai apoiou a afirmação de Bryant de que ela renegaria uma criança homossexual.

O fato na época deixou perfeitamente claro para McPhearson que seus pais o repudiariam se ele revelasse que era gay. Então ele viveu sua vida no armário até na idade adulta. Ao longo do caminho, ele se casou com mulher, teve filhos e desenvolveu sérios problemas com a bebida, tentando esconder sua sexualidade não apenas dos outros, mas também de si mesmo.

Finalmente, em 1998, com 35 anos, McPherson assumiu sua sexualidade para sua esposa. Ela, surpreendentemente, o apoiou com amor, embora os dois concordassem em manter o segredo dos filhos, pois ainda eram muito pequenos. O casal permaneceu unido e amigável mesmo depois, quando finalmente se separaram. Foi quando McPherson decidiu que era hora de parar de se esconder e começar a viver.

Ele confessou primeiro para sua mãe em 2001. Pelos próximos 19 anos, seu relacionamento com seus pais permaneceu relativamente o mesmo. Suas ligações semanais com o pai continuavam como antes.

Então, em algum momento recentemente, sua sobrinha deu ao pai um iPhone. Inevitavelmente, seu pai fez uma conta no Facebook e foi lá que McPherson acredita que seu pai descobriu de sua sexualidade que ele não escondia de mais ninguém.

Desde então, ele recebeu amor e aceitação da família, mas não de seu pai, cuja relação só piorou.

“No final das contas, meus filhos foram a chave para o início da cura”, escreveu McPherson. “Esta experiência deixou claro que tenho um relacionamento com cada um deles que não pode ser quebrado por nada que meus pais tenham feito ou possam fazer no futuro.”

Desde que o pai cortou contato, em seu aniversário ele apenas recebeu um cartão de aniversário de sua mãe com um bilhete que dizia apenas: “Eu te amo”. McPherson contou que ela sofre de demência e que seu pai controla todo o acesso a ela, então ele não teve como contatá-la em seus últimos dias. Em vez disso, ele pretende manter o cartão como memória da mãe que o ama do jeito que ele é.

“Vou guardar este lindo cartão como um lembrete de que em algum lugar dentro dela, ela tem amor por mim”, escreveu ele.

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line