Guedes defende incluir líderes do governo na relação com a Presidência da Câmara

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu nesta sexta-feira (4) um novo formato da relação do governo com a Presidência da Câmara. Para ele, o novo formato deve valorizar as lideranças políticas, dentro de um novo entendimento entre o Planalto e a Câmara. O relato foi feito ao blog por pessoas próximas ao ministro.
A fala ocorre após uma afirmação do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em entrevista à GloboNews, de que Guedes proibiu secretários do Ministério da Economia de conversarem com ele e que sua interlocução com o ministro está “encerrada”.
Guedes defendeu, segundo relatos, que as reuniões entre técnicos da área econômica e a presidência da Câmara inclua líderes do governo, de forma mais “transparente”.
A declaração de Maia escancarou os problemas na relação com o ministro da Economia, que já vêm desde a negociação da reforma da Previdência, mas se acirraram na reforma tributária, no debate em torno de um novo tributo e na discussão da ajuda aos estados.
Segundo interlocutores de Guedes, a volta das discussões sobre o Plano Mansueto, projeto que prevê ajuda a Estados endividados, estava sendo conduzido de forma a ajudar o Rio a mudar as regras do Regime de Recuperação Fiscal.
Além disso, desagradou ao chefe da equipe econômica as negociações de Maia com governadores para destinar, dentro da reforma tributária, uma fatia do novo IVA (Imposto sobre Valor Agregado) para um fundo de desenvolvimento regional apenas para estados do Nordeste. As negociações, na visão de Guedes, estariam “atropelando” o governo.

Leitores On Line