Gatinha morta e roupa do corpo: vítimas recebem ajuda após incêndio no Rio Tavares

Três moradores ficaram desalojados e tiveram seus apartamentos completamente destruídos em decorrência do incêndio em um prédio no bairro Rio Tavares, em Florianópolis, na noite de terça-feira (22).

Felizmente, ninguém ficou ferido na ocorrência. Vaquinhas foram criadas para ajudar os moradores e também o dono do prédio, que vive da renda dos aluguéis.

Incêndio desta terça-feira (22) deixou estragos em prédio no Rio Tavares – Foto: Reprodução/ND

O prédio conta com quatro apartamentos. Os dois localizados no pavimento superior foram consumidos pelas chamas.

No apartamento da esquerda, a estudante Marina Compiani vivia há oito anos. Ela relata que estava assistindo uma aula, no Centro da Capital, no momento do incêndio.

“A escola retomou agora as aulas presenciais. Era pra eu estar em casa, mas não estava. Fui poupada de ver toda minha casa queimar”, diz.

Ela contou que hospedava uma amiga, que estava dentro do apartamento no momento em que tudo aconteceu.

“Minha amiga, que estava dentro do apartamento, ia morrer. Uma vizinha entrou no apartamento atrás de mim e salvou a vida dela. Ela olhava e não acreditava que aquilo estava acontecendo, vendo todas as minhas coisas queimarem”.

Agora, Marina conta com a ajuda de uma vaquinha para se reorganizar. “Eu sou estudante, vivo da renda dos meus pais, estou contando com a ajuda dos meus amigos. Estou recebendo doações para me reorganizar e ir adquirindo as coisas que tinha dentro de casa”.

Já no apartamento localizado à direita moravam os amigos Reinelli Neto e Josiane Azevedo, na companhia de duas gatas. No dia do incêndio, Reinelli estava em uma viagem, e Josiane tinha uma prova na faculdade. “Saí de casa por volta das 17h30, deixei uma das gatinhas presa dentro de casa e fui pra aula”, conta a moradora.

Josiane Azevedo foi uma das afetadas pelo incêndio – Foto: Instagram/Reprodução

“Já na faculdade várias pessoas estavam me ligando, mas não pude atender porque estava fazendo a prova. Quando fui ver, já era tarde demais, a casa tinha pegado fogo”, relata.

“A gente perdeu literalmente tudo, minha gatinha morreu carbonizada. Fiquei só com a minha roupa do corpo, meu celular e minha bicicleta, estamos precisando de tudo. Não sei como vai ficar a situação agora, não sei como seguir, estou meio confusa”, lamenta.

Josiane conta que conseguiu encontrar a outra gata, que havia ficado do lado de fora no momento do incêndio. O fogo destruiu por completo o apartamento.

Seu Nelson também foi vítima

Além dos moradores, outra pessoa que foi afetada pelo incêndio é Nelson Vinci, o proprietário do imóvel, conhecido como “Seu Nelson”.

Os moradores contam que ele trabalhou a vida inteira para comprar o terreno e construir os apartamentos. Além disso, a esposa dele teve um AVC (Acidente Vascular Cerebral) há um mês.

Esta é a segunda vez que ele passa por um incêndio. Giovana Vinci, neta de Seu Nelson, conta que ele tinha uma papelaria em São Paulo, que foi assaltada e queimada pelos criminosos.

Em seguida, ele se mudou para Florianópolis e guardou dinheiro para comprar o terreno e construir o prédio, cujo dinheiro dos aluguéis é sua fonte de renda.

Os dois apartamentos da parte inferior do prédio, um deles habitado por Giovana, também tiveram danos consideráveis, principalmente nas áreas do teto e das cozinhas.

Giovana relata que os apartamentos de cima terão de ser reconstruídos, mas os moradores já manifestaram a vontade de voltar.

Como ajudar

As vítimas do incêndio estão recebendo doações para tentar repor parte das perdas. As contribuições podem ser feitas das seguintes formas:

Marina Compiani

Os valores podem ser enviados por meio da vaquinha, que pode ser acessada neste link, ou diretamente para a conta pessoal:

Banco do Brasil
Agência 2694-8
Conta 65319-5
Favorecido: Marina Compiani D. Silva
CPF: 022.603.320-13

Josiane e Reinelli

Josiane Azevedo está recebendo contribuições por meio de três contas pessoais, são elas:

Nubank
Agência: 0001
Conta: 81481187-9

Caixa
Agência: 0408-013
Conta: 00058702-8

Banco do Brasil
Agência: 0466-9
Conta: 18501-9
Favorecido: Josiane Azevedo
CPF 085.862.899.-65

Seu Nelson

Uma vaquinha, que pode ser acessada neste link, também foi criada para ajudar o proprietário. As contas para contribuições diretas são as seguintes:

Banco Itaú
Agência: 4730
Conta: 02569-1

Nubank
Agência: 0001
Conta: 37013858-1

*As contas estão no nome de: Giovana Vinci Roberto – CPF: 101.706.309-51

Origem do incêndio

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a perícia foi realizada na tarde desta quarta-feira (23). O prazo para o laudo é de 30 dias.

Não foi informada nenhuma suspeita oficial da causa do incêndio até então. No entanto, os relatos das moradores apontam para uma mesma origem.

Josiane Azevedo explica que o prédio fica localizado na Vila Cruz, área conhecida como “cinco ruas”. Segundo ela, o fogo teria iniciado na primeira rua, em um galpão, que era visível da lavanderia de seu apartamento.

“Era um terreno gigante, com várias casas de madeira. O fogo iniciou ali, por volta das 19h30, e acabou chegando ao nosso prédio”.

Da mesma forma, Marina Compiani relata que atrás do imóvel em que vivia operava uma espécie de oficina, onde eram produzidos móveis de madeira e consertos.

“Esse barracão era construído irregularmente, colado no muro do prédio. Ele tinha muita madeira e coisas velhas que eles reformavam, era um acúmulo de coisas. Eu via da janela da minha casa, então sabia o que acontecia ali”, conta.

De acordo com relatos de vizinhos, algo teria estourado naquele lugar e então o fogo se espalhou. “Esse fogo subiu pelas sacadas do prédio, atingindo o meu apartamento e o do lado. O nosso apartamento não tinha laje, ele era de madeiramento e telha ecológica. O fogo pegou a telha ecológica e em cinco minutos queimou tudo que a gente tinha em casa”, lamenta a estudante.

Veja o vídeo do incêndio:


Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line