Funcionário da assessoria de imprensa de Merkel é suspeito de espionagem


Ex-funcionário do porta-voz da chanceler federal teria reunido informações para a inteligência egípcia durante vários anos, até dezembro de 2019. Chanceler alemã, Angela Merkel, participa de entrevista coletiva na quinta-feira (9)

Um funcionário da assessoria de imprensa do governo alemão está sendo investigado por espionagem, confirmou nesta sexta-feira a Procuradoria-Geral (10) da Alemanha. De acordo com o Relatório sobre a Proteção da Constituição relativo a 2019 e apresentado nesta quinta-feira, o Departamento Federal de Polícia Criminal (BKA, na sigla em alemão) tomou “medidas executivas” contra o suspeito em dezembro de 2019.
O procurador-geral Peter Frank confirmou ao jornal “Bild” que o homem, cuja identidade não foi revelada, está sob investigação por suspeita de espionagem. Segundo o jornal, ele era funcionário do serviço de visitantes da assessoria, ocupava uma função de nível intermediário no serviço público e tem origem migratória.
O Departamento de Imprensa do Governo Federal, que é chefiado pelo jornalista Steffen Seibert, porta-voz da chanceler federal Angela Merkel, não quis comentar o caso. “Não falamos sobre investigações em andamento nem sobre assuntos de pessoal”, disse Seibert.
De acordo com o relatório sobre a proteção da Constituição, tanto o serviço interno de inteligência quanto o de espionagem estrangeira do Egito estão ativos na Alemanha. O principal objetivo deles seria adquirir informações sobre os membros da oposição egípcia que vivem na Alemanha, tais como representantes da Irmandade Muçulmana ou membros das comunidades coptas.
O relatório acrescenta que os serviços egípcios de inteligência estão tentando recrutar compatriotas que vivem na Alemanha para fins de espionagem.

COM AGÊNCIAS