Foco e dedicação são essenciais para aprovação no concurso do Ministério Público

Promotores de justiça compartilham suas experiências de preparo para o concurso e apontam para a necessidade de manter o foco em meio às incertezas A carreira do Ministério Público é um sonho de muitos graduados em Direito. Mas a jornada até a aprovação é longa e demanda muita dedicação por parte dos estudantes, que precisam manter-se focados nos estudos mesmo frente a incertezas, como a crise global que estamos vivendo.
Segundo o Promotor de Justiça na Comarca de Joinville, Marcio Gai Veiga, manter o foco nos objetivos é fundamental para quem quer ingressar na carreira do Ministério Público. Ele conta fez diversas tentativas frustradas em busca da aprovação.
— Por 6 anos eu fiquei estudando e fazendo concurso para o MPSC até passar. Houve uma época que demorou para sair prova, mas desistir nunca foi uma opção para mim — garante Veiga.
Hoje, com 11 anos de carreira no Ministério Público, Veiga ministra aulas de Legislação Processual Penal Extravagante na Escola do Ministério Público de Santa Catarina, instituição reconhecida pelo Curso Preparatório para Ingresso à Carreira do MPSC e pela Pós-graduação em Direito Penal e Direito Processual Penal. Ele conta que a dedicação aos estudos é o diferencial entre de quem é aprovado ou não.
— Na minha época de estudante, eu cansei de passar o final de semana inteiro estudando. Chegava em casa na sexta-feira depois do trabalho e voltava a sair de casa só na segunda-feira para ir trabalhar novamente — relembra.
Leia também: Ministério Público: entenda como atua o órgão e saiba como se preparar para a carreira nele
Em momentos de crise, como a pandemia que estamos vivendo, é comum ficar inseguro sobre a realização dos concursos, mas Veiga garante que não há motivos para esse tipo de preocupação, pois sempre haverá a abertura de novas vagas no Ministério Público.
— Concurso vai ter, a questão é que tem que estar preparado. Os alunos podem, inclusive, aproveitar essa época de pandemia, em que as medidas de isolamento social já são para ficar em casa, para estudar ainda mais — acrescenta.
Cada candidato percorrerá sua jornada rumo à aprovação, mas o caminho pode se tornar mais fácil com o auxílio das ferramentas certas, como programa de estudos eficiente, material adequado e profissionais experientes.
Além da estabilidade
Veiga destaca também que o aluno não deve se focar somente na expectativa de estabilidade profissional e boa remuneração na hora de escolher uma carreira para prestar concurso.
— Não é só estudar para qualquer concurso. Você tem que ter afinidade com o que você vai fazer, com a carreira e com as atribuições. Até porque daqui a pouco você passa em um concurso que não é para a área que você gosta e depois vai passar a vida inteira sendo infeliz — enfatiza o promotor.
O Promotor de Justiça da Comarca da Capital Paulo Antonio Locatelli também ministra aulas na Escola do MP, especificamente na disciplina de Prática de Direitos Difusos e Coletivos. Segundo ele, embora o público-alvo do curso seja aquele aluno que queira se preparar para o concurso do MP, o curso é válido também para desenvolver o conhecimento nas diferentes áreas do Direito, tais como moralidade administrativa, processo penal e direito penal, infância e juventude, meio ambiente, dentre outros.
— No curso o aluno adquire base do conhecimento não só para o concurso do MP, mas também para os demais — explica.
Além disso, quem cursar a Pós-Graduação em Direito Penal e Processual Penal será certificado como especialista e poderá validar um ano de prática jurídica, pré-requisito essencial para os concursos do MP, Magistratura e outras carreiras.
Quanto à sua trajetória para aprovação, Locatelli conta que foi rápida e atribui isso ao fato de ter aproveitado o período em que estava na faculdade para estudar. Para ele, é preciso o resgate de consciência do próprio aluno sobre a importância dos cinco anos de faculdade.
— Quem faz a faculdade com a visão de que ela é apenas um rito de passagem, acaba tendo dificuldades depois. É a graduação que vai te preparar para um futuro profissional — conta.
Leia também: Professores da Escola do Ministério Público compartilham dicas para quem vai prestar concurso do MPSC
Outros fatores também podem influenciar diretamente na aprovação de um candidato como o apoio familiar, tanto financeiro quanto emocional, e a interação com pessoas que têm objetivos semelhantes. Nessa fase de estudos para o concurso, promover encontros de grupos de estudo com colegas que também farão a prova – ainda que virtuais – pode ser um bom momento para tirar dúvidas, compartilhar anseios e evitar o isolamento.
Porém, até os sacrifícios podem tornar os alunos resilientes e contribuir para um bom resultado em um concurso. Segundo Locatelli, quando ele cursou Direito na Univali, em Itajaí, morava em Florianópolis e perdia muito tempo com o deslocamento entre as duas cidades. Com o esforço para ir às aulas, ele passou a valorizar mais o tempo que estava na faculdade.
— Depois da aula, eu voltava de ônibus e chegava no terminal Rita Maria, em Florianópolis, quase meia noite. Todo dia eu fiz isso durante 5 anos. O fato de ser algo penoso me fez colocar na cabeça a importância de aproveitar o tempo em que eu estava na sala de aula — relembra o promotor.
Desafios das aulas a distância
Nesse momento de pandemia, as aulas da Escola do Ministério Público estão sendo realizadas a distância. O professor Locatelli garante que não há prejuízos quanto ao cronograma do conteúdo e que o desafio está em tentar promover a mesma interação que os alunos teriam nas aulas presenciais. Ele conta que práticas para engajar os alunos durante as aulas a distância estão sendo feitas.
— Como dou aula de Direito Coletivo, promovo júris simulados, quando cada aluno escolhe um caso de impasse proposto para defrontar contra outro. Isso envolve os alunos e é possível perceber que aprendem mais, pois buscam as informações e desenvolvem o poder de argumentação — garante.
Para ele, esse envolvimento entre os alunos e o professor é a principal diferença entre um aprendizado efetivo e a famosa “decoreba” para concursos.
— Outro dia eu estava assistindo com minha filha a série “Anne with an E” e uma frase me chamou atenção sobre aprendizado: ‘Me diga e eu me esquecerei; me ensine e eu me lembrarei; me envolva e eu aprenderei’ — finaliza.
É com ensinamentos como esses que os alunos da Escola do MP têm alcançado ótimos resultados de aprovação em concursos públicos. No último concurso para Promotor de Justiça do MPSC, o primeiro colocado foi aluno da instituição e, na prova objetiva, 4 entre os 10 primeiros classificados também estudaram na Escola do MP. O ingresso nas carreiras do Ministério Público se dá por meio de aprovação em concurso público e análise de currículo. Além disso, promotores e procuradores devem ter graduação em direito e tempo mínimo de três anos de prática jurídica.
Para conhecer mais sobre a Escola do Ministério Público de Santa Catarina, acesse o site da instituição.

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line