Fernanda Gentil relembra quando assumiu romance com a mulher

Fernanda Gentil e Priscila Montadon (Reprodução)
Fernanda Gentil e Priscila Montadon (Reprodução)

A jornalista Fernanda Gentil, por meio de uma postagem no Instagram, lembrou quando tornou público o seu romance com Priscila Montadon. Segundo a famosa, as opiniões se dividiram e Fernanda aproveitou o ensejo para falar sobre preconceitos e privilégios.

“Há exatos 4 anos o Brasil sabia que eu estava namorando uma mulher, e, (só) por isso, eu recebia uma onda de carinho de todos os lados. Mas paralela a ela, ao mesmo tempo, uma outra onda também se formava na minha direção; de mensagens ruins, chatas, e cheias de maldade”, começou a apresentadora do Se Joga.

“Acontece que antes desse dia chegar, eu sempre falei pra minha família que a onda seria grande, mas que ficássemos tranquilos, porque, afinal de contas, a gente sabia nadar. E assim foi: a onda ruim veio, e a gente nadou. A onda boa veio, e a gente surfou… e surfa até hoje! Porque o legado dela foi eterno: lembrei quantas pessoas me amam, estão comigo, e como eu sou sortuda pelas amizades e família que tenho”, prolongou.

Mas como sei que estou sim na bolha e os meus privilégios não me deixam ser parâmetro, estou repostando o texto que escrevi quando faltava um minuto para aquele dia acabar – o dia em que o Brasil soube. O dia da onda. Esse texto é só pra dizer pra você, que seja lá qual for o seu furacão – uma demissão, um divórcio, uma paixão por alguém do mesmo sexo, uma mudança de vida, ou uma nova empreitada na sua caminhada – saiba que a onda sempre passa. O dia seguinte nasce. E a piscina (referência ao texto que escrevi, pra entender tem que ler) sempre vai continuar lá”, destacou.

ndo uma mulher, e, (só) por isso, eu recebia uma onda de carinho de todos os lados. Mas paralela a ela, ao mesmo tempo, uma outra onda também se formava na minha direção; de mensagens ruins, chatas, e cheias de maldade. . Acontece que antes desse dia chegar, eu sempre falei pra minha família que a onda seria grande, mas que ficássemos tranquilos, porque, afinal de contas, a gente sabia nadar😏😉. E assim foi: a onda ruim veio, e a gente nadou. A onda boa veio, e a gente surfou… e surfa até hoje! Porque o legado dela foi eterno: lembrei quantas pessoas me amam, estão comigo, e como eu sou sortuda pelas amizades e família que tenho. . Mas como sei que estou sim na bolha e os meus privilégios não me deixam ser parâmetro, estou repostando o texto que escrevi quando faltava um minuto para aquele dia acabar – o dia em que o Brasil soube. O dia da onda. Esse texto é só pra dizer pra você, que seja lá qual for o seu furacão – uma demissão, um divórcio, uma paixão por alguém do mesmo sexo, uma mudança de vida, ou uma nova empreitada na sua caminhada – saiba que a onda sempre passa. O dia seguinte nasce. E a piscina (referência ao texto que escrevi, pra entender tem que ler) sempre vai continuar lá. . Passem pro lado e espero que as minhas palavras de 4 anos atrás voltem a fazer algumas pessoas sorrirem e se sentirem em paz. ❤ #tbt