Expositores protestam na porta da Prefeitura de BH e pedem retorno da Feira Hippie com ‘100% dos trabalhadores e setores’


Devido à pandemia do novo coronavírus, feirantes estão sem expôr há seis meses. Eles estão insatisfeitos com a proposta de retomada apresentada pela prefeitura. Com cartazes, expositores da Feira Hippie protestaram em frente à prefeitura.
Juliano Pinheiro
No dia em que completam seis meses em que a Feira Hippie está sem funcionar em BH, por causa da pandemia do novo coronavírus, expositores fizeram manifestação na porta do prédio da Prefeitura de Belo Horizonte, na avenida Afonso Pena, no Centro da capital.
Segundo os organizadores, cerca de 200 trabalhadores participaram do protesto na tarde desta terça-feira (15), pedindo a retomada das atividades.
“Queremos voltar 100% e não como a prefeitura propôs, que é de 50% de expositores em um domingo e outros 50 no outro. Não concordamos com esse rodízio. Queremos todos os feirantes, com todas as medidas sanitárias”, disse Juliano Pinheiro, expositor na feira há 30 anos.
Segundo Juliano, isso significa que 880 barracas poderiam voltar a funcionar por domingo. Ele disse que a categoria está insatisfeita com a proposta apresentada pelo Executivo Municipal. “A PBH propôs também que as barracas de alimentação saíssem da Afonso Pena e fossem para a rua Goiás. Não queremos isso”, disse.
Com cartazes, expositores da Feira Hippie protestaram em frente à prefeitura.
Juliano Pinheiro
“Nestes seis meses, já fiz de tudo para sobreviver. Seis meses sem expôr atrapalhou demais minha renda e da minha família. A venda online não adiantou pra mim, não tive sucesso. Quero voltar para a barraca”, contou Juliano que vende artigos de decoração para quarto de bebê.
O G1 procurou a Prefeitura de Belo Horizonte e, até a última atualização desta reportagem, ainda aguardava posicionamento.
Leitores On Line