“Eu me sinto um jogador mais completo”, diz Firmino, sobre o trabalho com o técnico Jürgen Klopp

Em entrevista exclusiva ao colunista Roberto Alves, atacante Roberto Firmino fala do atual momento da carreira, dos títulos com a camisa do Liverpool, da pretensão de jogar a Copa do Mundo do Catar e da gratidão que sente pelo Figueirense

bob-bobby
Roberto Alves e Roberto Firmino

Certa vez alguém me perguntou: “Como é que você identifica o bom jogador?”. Pelo andar, pela forma como entra em campo para treinar e pelo toque de bola. Componentes nem sempre percebidos pelo torcedor que, às vezes, exige apenas que o jogador faça apenas o gol, o resto não interessa. Engano. Por trás disso há uma série de detalhes até a bola entrar.

Roberto Firmino, cuja história no Figueirense é lembrada até hoje, é esse tipo de jogador que chamamos de operário com qualidade. Decisivo no acabamento do produto final, determinante nas grandes conquistas e fatal quando a bola pinta na frente dele, perto da área. Chama-se a isso: craque.

Depois de ajudar o Liverpool a sair da fila na Inglaterra, há algumas semanas, desejei conversar um pouco com ele. Mandei-lhe uma mensagem e prontamente ele respondeu. Bobby Firmino, como a apaixonada torcida do Liverpool carinhosamente chama-o, não é de falar muito.

O camisa 9 do novo campeão inglês continua com aquela simplicidade, priorizando a carreira, agradecendo ao Figueirense – que o projetou para o mundo – e a Márcio Goiano – que o lançou no Alvinegro do Estreito –e está de olho no futebol brasileiro, pois planeja jogar a Copa do Mundo do Catar, em 2022.

Confira mais detalhes na entrevista a seguir:

Olha, eu e minha família estamos 100% adaptados à cidade. Afinal, já são cinco anos aqui e estamos muito felizes. Liverpool é um lugar fantástico. Fomos acolhidos muito bem. Temos prazer de morar aqui.

Sim. Sempre que posso saio com a família, esposa e filhas para um passeio e ir a restaurantes.

Por incrível que pareça ainda não. Aliás, não vi nada que se refere aos Beatles. Na verdade, não sou muito de ficar turistando. Minha esposa já foi. Amigos e parentes, quando vêm aqui, também vão. Eu ainda não conheci.

Com Agências