Estudo aponta Floripa como 2ª cidade mais inteligente e conectada do Brasil

A 6ª edição do Ranking Connected Smart Cities 2020, mais importante estudo do país sobre cidades divulgado na semana passada, apontou Florianópolis como a segunda mais inteligente e conectada do Brasil. Na edição anterior, a capital catarinense havia atingido a 7ª posição na classificação geral. A cidade se classificou, ainda, com o 1º lugar na categoria Região Sul

O novo ranking foi divulgado no Connected Smart Cities e Mobility Digital Xperience 2020, mais importante iniciativa de cidades e mobilidade do Brasil e que, em função da pandemia da Covid-19, foi apresentado no formato 100% virtual e por meio de plataforma dedicada, no começo de setembro.

O estudo, elaborado pela Urban Systems, em parceria com a Necta, está na 6ª edição e mapeia todos os 673 municípios com mais de 50 mil habitantes, com o objetivo de definir as cidades com maior potencial de desenvolvimento do Brasil.

O primeiro lugar no Ranking Geral 2020 foi para a cidade de São Paulo, que atingiu a primeira colocação. O segundo lugar ficou com Florianópolis (SC); seguida por Curitiba (PR); Campinas (SP) e Vitória (ES). Em sexta colocação está São Caetano do Sul (SP); seguida por Santos (SP); Brasília (DF); Porto Alegre (RS); e Belo Horizonte (MG) em 10º lugar.

Além do segundo lugar como a cidade mais inteligente e conectada do Brasil, a capital catarinense conquistou, ainda, a primeira colocação na categoria Região Sul; 2ª posição em Cidades com mais de 500 mil habitantes; 3ª em Economia; 4ª colocação em Tecnologia e Inovação; 5ª em Educação e Mobilidade e Acessibilidade; 7ª em Saúde e Empreendedorismo; e 10ª posição em Segurança.

A partir da edição 2019, o Ranking incorporou conceitos e novos indicadores baseados na ISO 37122 -Sustainable Cities And Communities – Indicators For Smart Cities, mantendo-se como a melhor referência para comparação e análise de cidades inteligentes no Brasil. O resultado é apresentado em 4 frentes: geral, por eixo temático, por região e por faixa populacional. O estudo é composto por indicadores de 11 principais setores: mobilidade, urbanismo, meio ambiente, tecnologia e inovação, economia, educação, saúde, segurança, empreendedorismo, governança e energia, mesmos eixos temáticos do evento nacional Connected Smart Cities.

– Nesses seis anos de atuação, a Plataforma Connected Smart Cities vem desempenhando papel fundamental junto às empresas, entidades e governos na busca pela inovação, tendo como objetivo fundamental tornar as cidades brasileiras mais inteligentes e conectadas, principalmente no atual momento de pandemia da Covid-19 -, comenta a CEO da Necta e idealizadora do Connected Smart Cities e Mobility, Paula Faria.

FLORIANÓPOLIS EM NÚMEROS
No eixo Tecnologia e Inovação, a capital catarinense se destaca com: 55,7% das conexões de banda larga na cidade possuem velocidade superior a 34 mb (eram 44,2% no ano anterior); quase metade dos empregos formais da cidade são ocupados por profissionais com ensino superior, contra as demais grandes cidades que giram em torno de 30%; são 128 pontos de acesso a internet por 100 habitantes; em 2019, a cidade recebeu em bolsa CNPQ o equivalente a R$ 94,9 mil por 100 mil habitantes, 14 mil a mais que no ano anterior; 4,4% dos empregos formais estão em ocupações no setor de tecnologia da informação e comunicação (TIC); e 7,6% dos empregos formais estão no setor de educação e pesquisa e desenvolvimento.

Em Segurança e Saúde, se sobressaem as despesas pagas com Segurança de R$ 96,40 por habitante; despesas pagas com Saúde de R$ 692,00 por habitante; disponibilidade de 3,74 leitos por mil habitantes; e 4,3 óbitos por mil nascidos vivos (local de residência).

Relacionado à Economia, a cidade apresentou alta de 2,8% do PIB per capita, no último período analisado; 68,8% dos empregos estão no setor privado; 0,84 empregos formais por habitante referente à População Economicamente Ativa (PEA); 67,4% da receita municipal não é oriunda de repasses (aumento de 4 pontos percentuais em relação ao último estudo); renda média de R$ 4.880 dos trabalhadores formais.

Já em relação ao Empreendedorismo, Florianópolis apresenta expressivo crescimento de 9,4% de empresas de tecnologia; conta com 2 Parques Tecnológicos e 6 incubadoras de empresas; crescimento de 2,9% de empresas Economia Criativa; e alta de 25,8% de MEI.

Para o Presidente da Urban Systems e sócio da Plataforma Connected Smart Cities, Thomaz Assumpção, o Ranking Connected Smart Cities ano a ano vem auxiliando as cidades a entenderem o seu nível de desenvolvimento inteligente e sustentável, oferecendo parâmetros para que as cidades possam se planejar e criar estratégias para tornarem-se mais humanas e propiciar qualidade de vida a seus habitantes.

– A edição 2020, diferentemente de outros anos, apresentou uma menor movimentação das cidades nas primeiras posições, refletindo a preocupação cada vez maior das cidades brasileiras em manterem e melhorarem seus indicadores. Destaque para o setor de tecnologia e inovação, que apresentaram melhora nos itens de infraestrutura e no setor de educação, que apresentou mais cidades com crescimento em seus indicadores -, enfatizou.

Leitores On Line