Estudo alerta União Europeia sobre ‘segunda onda’ de covid-19

A Espanha passa por alta nos casos de covid-19 pela segunda vez esse ano

A Espanha passa por alta nos casos de covid-19 pela segunda vez esse ano
Salvador Sas/EFE – 14.04.2020

A Espanha sofre “uma segunda onda” da epidemia covid-19, que pode atingir o resto da Europa nos próximos dias, alerta estudo de hospital e universidade do Região espanhola da Catalunha (nordeste).

O Hospital Universitário Germas Trias i Pujol (Can Ruti), em Badalona (Barcelona), e a Universidade Politécnica da Catalunha (UPC) já enviaram o relatório à Comissão Europeia, datado de 2 de setembro e conhecido este domingo (6).

Leia também: Várias pessoas são esfaqueadas em Birmingham, no Reino Unido

Esses centros de pesquisa explicam que “o efeito de bares e restaurantes pode ter grande repercussão na evolução das epidemias”, onde as medidas são muito menos respeitadas do que em outras circunstâncias, como a distância de segurança interpessoal e o uso de máscara.

Com o título “Análise e previsão do covid-19 para UE-EFTA-Reino Unido e outros países”, o estudo alerta as autoridades europeias que o momento atual é crucial para travar a segunda vaga e que, caso contrário, a Pode voltar a uma situação semelhante à de março, quando estourou a transmissão descontrolada do coronavírus.

Os pesquisadores se perguntam por que a Espanha lidera o número de casos na segunda onda, um país com altas temperaturas no verão, quando se ganha mais vida ao ar livre, já que a taxa de contágio é 20 vezes menor neste caso do que nos espaços. fechadas.

A chave é que a Espanha levantou as restrições de mobilidade, especialmente entre províncias, antes de outros países da União Europeia em um momento em que “a taxa de casos positivos poderia ser três vezes maior do que o que estava realmente sendo detectado” e o A atividade social aumentou acentuadamente, de acordo com os pesquisadores.

O país inteiro permaneceu em estado de alarme por mais de três meses, desde meados de março, com severas limitações na movimentação de pessoas, que foi diminuindo gradativamente no final, até desaparecer por completo no dia 21.

A Espanha permanece distante entre os países europeus pelo número de casos desde o início da pandemia (mais de 500.000), seguida do Reino Unido (mais de 340.000) e, sobretudo, pela incidência nos últimos 14 dias por cem mil habitantes, 216,8 infecções, à frente da França (98,2), Romênia (69,9), Ucrânia (65,7), Bélgica (49,2) e Holanda (40,4).

A Espanha também liderou a incidência cumulativa total por cem mil habitantes na Europa em 1º de setembro, com 1.002 afetados, seguida pela Suécia (837), Bélgica (737), Portugal (571), Romênia (461), Itália (447), França (438), Países Baixos (415) e Alemanha (292).

Leitores On Line