Estado de SP atinge Ideb nos anos iniciais do Ensino Fundamental; índices dos anos finais e Ensino Médio ficam abaixo da meta


Diferença de nota do Ideb é maior quando comparamos dados da rede pública e privada. O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2019, divulgado nesta terça-feira (15), aponta que o estado de São Paulo atingiu a meta para os anos iniciais do Ensino Fundamental, mas não alcançou as metas projetadas para os anos finais do Ensino Fundamental e para o Ensino Médio.
O Ideb é divulgado a cada dois anos. Criado pelo Ministério da Educação em 2015, o Ideb é um indicador de qualidade do ensino fundamental e do ensino médio.A nota vai de 0 a 10 e leva em conta dois fatores: quantos alunos passam de ano e qual o desempenho deles em português e em matemática.
De 2017 para 2019, a pontuação subiu de 6,6 para 6,7 nos anos iniciais do Ensino Fundamental, que corresponde a 4ª série ou 5º ano. Essa foi a maior nota entre os estados do Brasil. A meta do ano passado era de 6,1 e o estado já atingiu a projeção de 2021, cuja nota de referência é 6,7.
Nos anos finais do Ensino Fundamental, a 8ª série ou 9º ano, o índice ficou abaixo da meta. A nota foi de 5,5 e o esperado era de 5,9. O estado não atinge a meta desde 2013. Apesar disso, São Paulo tem o Ideb mais alto do país nos anos finais.
O Ensino Médio também teve notas abaixo do esperado. Depois de ficar dois anos estagnado em 4,2, em 2019 o índice subiu para 4,6. No entanto, a meta era de 5,2. Mesmo estando longe da meta, São Paulo tem o maior quarto Ideb do país no Ensino Médio, atrás do Espírito Santos, Goiás e Paraná.
Notas e metas do Ideb no estado de SP nos anos iniciais do Ensino Fundamental
Carol Moreno/TV Globo
Nota do Ideb em SP nos anos finais do Ensino Fundamental
Carol Moreno/TV Globo
Nota do Ideb no Ensino Médio no estado de SP fica abaixo da meta
Carol Moreno/TV Globo
Rede pública x rede privada
Quando comparamos o Ideb específico por rede de ensino podemos observar quanto mais os alunos avançam na rede de ensino aumenta a distância das notas das escolas da rede pública e privada.
Nos anos iniciais do Ensino Fundamental, essa distância era menor em 2017. No entanto, em 2019, o Ideb da rede pública caiu para 6,5 e da rede privada subiu para 7,6, aumentando a diferença na qualidade de ensino.
Já nos anos finais do Ensino Fundamental, o Ideb da rede pública subiu para 5,2 e da rede privada caiu para 6,7. Apesar disso, a diferença ainda é grande.
No Ensino Médio, as duas redes tiveram aumento, mas a diferença continua grande de 2,1 ponto. A nota da rede pública foi de 4,3 e da rede privada 6,1.
Anos iniciais Ideb da rede pública e privada no estado de SP
Carol Moreno/TV Globo
Anos finais do Ideb na rede pública e privada de SP
Carol Moreno/TV Globo
Nota do Ideb no Ensino Médio na rede pública e privada no estado de SP
Carol Moreno/TV Globo
Como o Ideb é calculado?
O Ideb é um índice de 0 a 10, calculado com base em dois fatores:
índices de aprovação/reprovação dos alunos e de abandono dos estudos, medidos no Censo Escolar;
notas em provas de português e de matemática no Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica).
Para ter um bom Ideb, é preciso ter baixas taxas de reprovação e de abandono de estudos, além de resultados satisfatórios no Saeb. Essa avaliação é aplicada sempre no fim de cada etapa escolar: 5º e 9º ano do ensino fundamental, e 3º ano do ensino médio.
Quais são as metas do Ideb e como são calculadas?
O MEC definiu que a meta para o país é atingir nota 6 no Ideb. Segundo a pasta, essa pontuação corresponde ao desempenho médio dos estudantes de países da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) no Pisa (sigla em inglês para “Programa Internacional de Avaliação de Estudantes”).
O Pisa é uma prova de matemática, português e ciências, feita por alunos de 15 anos. O Brasil costuma estar entre os piores colocados no ranking mundial dessa avaliação.
O prazo para atingir a meta de nível 6 no Ideb é diferente em cada etapa de ensino:
anos iniciais do ensino fundamental: 2021
anos finais do ensino fundamental: 2025
ensino médio: 2028
Para alcançar o Ideb desejado, o Inep traçou metas intermediárias. Em 2017, por exemplo, o objetivo era que a média nacional para alunos do 1º ao 5º ano fosse de 5,5. A nota exigida vai subindo a cada dois anos, até chegar a 6 em 2021.
As escolas, municípios e estados têm também suas metas individuais, calculadas a partir de cada realidade socioeconômica. Elas foram estabelecidas de modo que a média nacional atinja o patamar 6 nos prazos listados acima.
Leitores On Line