Economista fala sobre financiamentos e dá dicas comprar imóvel próprio

Antônia Félix explica que existem diferentes formas de financiamento e deu dicas sobre como escolher a melhor opção de acordo com a renda familiar. Economista alerta para cuidados antes de comprar um imóvel
O financiamento é um dos caminhos para as pessoas que desejam realizar o sonho da casa própria. Em entrevista ao Bom Dia Pernambuco desta quinta-feira (17), a economista e professora Antônia Félix explicou que é necessário ficar atenta ao valor das parcelas, para não comprometer grande parte da renda familiar, e estudar os diferentes tipos de finamento (veja vídeo acima).
Estudar as condições oferecidas é um dos passos essenciais para que a situação não vire um problema. “É importante você analisar essas taxas de juros, se elas cabem no seu orçamento, se essa parcela ela não ultrapassa 30% e compromete mais do que isso da sua renda familiar”, afirmou a economista.
A especialista também apontou que já dá para ter ideia das condições do novo programa de habitação, Casa Verde e Amarela, que deve substituir o Minha Casa Minha Vida e entra em vigor a partir de 2021.
“Se você tem uma renda familiar de até R$ 2 mil, você vai pagar uma taxa de financiamento de 4,25% ao ano. Se você participa de outro grupo de renda, que vai de R$ 2 mil a R$ 4 mil, você paga uma taxa de juros de 4,5% ao ano. E um outro grupo, com renda familiar entre R$ 4 mil e R$ 7 mil, paga taxas um pouco maiores do que 7% ao ano”, explicou.
Em relação a escolha entre imóveis na planta, recém lançados ou usados, Félix disse que é uma demanda particular de cada família, de acordo com o tempo que desejam esperar até se mudar para a nova casa ou apartamento.
“Os apartamentos que estão na planta geralmente têm um risco maior de entrega, porém eles trazem um retorno mais satisfatório em relação a facilidade de pagamento e de taxa de juros”, declarou.
A especialista também ressaltou que a casa própria é possível para todas as famílias, inclusive para aquelas de baixa renda que não podem comprometer grandes valores mensais.
“Existem programas de financiamento, da Caixa, do Banco do Brasil, em que você pode escolher parcelas que vão de R$ 80 a R$ 200”, disse.
VÍDEOS: mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias
Leitores On Line