Dia do turismo: entenda como está sendo a retomada em SC

O dia do turismo, comemorado neste domingo (27), coincide com ventos mais favoráveis ao setor em Santa Catarina, após meses de baixas. Isso porque o Estado não tem mais regiões em estado gravíssimo de transmissão da Covid-19 e as temperaturas começam a subir com a chegada da primavera.

Exemplo é o segmento hoteleiro, que viu as reservas crescerem mais significativamente em setembro, se comparado ao mês anterior. Junto a isso, a Santur (Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina) lança nas próximas semanas um programa para incentivar o turismo regional.

“Viaje Mais SC” quer promover turismo, organizando novos roteiros e mostrando a riqueza turística de SC – Foto: Anderson Coelho/ND

Batizado de “Viaje Mais SC” e previsto para ser lançado na próxima semana, o programa será organizado em etapas que preveem a capacitação e valorização, através de selos, dos estabelecimentos turísticos que promoverem medidas para conter a Covid-19.

Essa foi a forma encontrada para reaquecer o setor em tempos de pandemia. O turismo foi um dos setores da economia mais afetados com as restrições. O cancelamento de voos e viagens ultrapassou a casa dos 90% em março, abril e maio, em todo o Brasil, e quase metade das operadoras de viagens nacionais foram paralisadas no período (dados da Braztoa – Associação Brasileira das Operadoras de Turismo).

Mais de 10 mil eventos culturais foram adiados ou cancelados em Santa Catarina (dados ConectArteSC). As estimativas dão conta que o PIB (Produto Interno Bruto) do setor do turismo tenha reduzido cerca de 40% neste ano, segundo estudo da FGV (Fundação Getúlio Vargas).

Outro estudo com levantamentos da Santur sobre os impactos no Estado deve ser divulgado ainda no início de outubro.

Geada registrada durante julho deste ano, em São Joaquim, na Serra de SC. Município registrou nevada no final de agosto – Foto: Imagens Mycchel Legnaghi/São Joaquim Online

Entretanto, de acordo com o presidente da Santur, Leandro Mané Ferrari, a retomada deve ser feita com cautela. As experiências do verão europeu e o registro de segundas ondas de contágio em países como Inglaterra e Alemanha alertam para o perigo das taxas de contágio no Estado voltarem àquelas registradas nos meses de junho e julho.

“O catarinense não conhece SC”

A difícil ginástica de equilibrar o incentivo ao turismo e conter a propagação do novo vírus será feita, em um primeiro momento, através do incentivo ao turismo local, explica Ferrari. “O morador não conhece o Estado. Como agora é difícil ir ao exterior, queremos mostrar que existe o exterior dentro de Santa Catarina”, afirma.

Também dentro do “Viaje Mais SC” haverá o lançamento de uma plataforma para valorizar os estabelecimentos que promovam medidas para conter o contágio por Covid-19. Os empresários cadastrarão os estabelecimentos e informarão as medidas tomadas.

“Em 40 minutos podemos conhecer a Serra, Canyons e praias” afirma Ferrari. Na foto, o canyon do município de Praia Grande – Foto: Markit/Santur/Divulgação/ND

Após uma fiscalização para aferir se a empresa cumpre protocolos recomendados pelo Ministério da Saúde e pelo WTTC (World Travel & Tourism Council), ela receberá um selo que atestará que o local é seguro. A lista com os destinos seguros será disponibilizada também pela plataforma da Santur, explica Ferrari.

Entre outras coisas, o programa prevê ainda a criação de novos roteiros turísticos em Santa Catarina, além da formação dos trabalhadores do turismo – tanto para a recepção dos visitantes, quanto para cumprir os protocolos sanitários. Para Ferrari, com o incentivo ao turismo local os preços devem cair.

Rede hoteleira começa a se recuperar

Os estabelecimentos de hospedagem seguem operando com a capacidade reduzida, dependendo da situação da região. O protocolo estadual determina que, nas regiões em nível gravíssimo, os hotéis podem limitar a ocupação a 30%.

Regiões graves devem limitar a até 60% a ocupação, e os estabelecimentos localizados nas regiões de potencial alto podem receber até 80%. Com exceção do Extremo-Oeste, até esta data, todas as regiões do Estado estão em nível grave.

Nas regiões de saúde com avaliação de risco potencial moderado para Covid-19 está autorizado 100% da capacidade do estabelecimento.

De acordo com Osmar José Vailatti, presidente da Abih-SC (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Santa Catarina), o setor tem começado a se recuperar. “Estimo que menos de 10% dos hotéis ainda estejam fechados no Estado. Temos nos recuperado. No feriado de 7 de setembro registramos grande procura e já temos muitas reservas para o dia 12 de outubro”, explica.

Conforme estimativas de Vailatti, as reservas cresceram mais de 50% em setembro. Na pousada Pedra da Ilha, que Vailatti administra em Penha, para outubro o crescimento foi de mais de 70%. “Esse crescimento comprova que as pessoas estão querendo viajar” afirma.

Experiências

As estratégias para o setor turístico nos próximos meses foram alavancadas pela nevada registrada no final de agosto, que atraiu visitantes para a Serra catarinense. Foi um dos primeiros grandes eventos turísticos registrados no Estado durante a pandemia.

Considerada positiva pela Santur, a ideia é espelhar para o turismo de primavera e verão a integração entre municípios, polícias e Estado que ocorreu na ocasião. E se refletiu, segundo Ferrari, na criação de barreiras sanitárias entre as entidades e a maior conscientização dos visitantes.

“A expectativa para a primavera e o verão é das melhores. Queremos mostrar aos visitantes de Santa Catarina que o Estado é local seguro contra o contágio da Covid-19” completou Ferrari.

Até a data, o número de casos de Covid-19 em Santa Catarina ultrapassou a casa dos 210 mil. O Estado conta com cerca de 10 mil casos ativos.

Novas liberações

Caso ocorra a melhora nas taxas de contágio registradas nas regiões catarinenses, novas atividades econômicas devem ser liberadas. Duas portarias publicadas nos dias 19 e 25 de setembro delimitaram o cenário para a retomada das atividades culturais consideradas chave para o turismo:

  • Cinemas: autorizados nas regiões que não estiverem mapeadas com risco potencial gravíssimo ou grave e seguem as medidas de proteção adotadas. Retomada com restrições.
  • Eventos Sociais: autorizados com lotação máxima de 40% em regiões com risco potencial alto e de 60% em regiões com risco potencial moderado. Retomada com restrições.
  • Museus: autorizados nas regiões que não estiverem mapeadas com risco potencial gravíssimo ou grave e seguem as medidas de proteção adotadas. Retomada com restrições.
  • Casas noturnas, boates, pubs e casas de shows: autorizados nas regiões que não estiverem mapeadas com risco potencial gravíssimo, grave e potencial alto. Retomada com restrições.

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line