Deputado de Minas defende CPI da Lava Jato para investigar Moro, Dallagnol e Bretas

O deputado federal Rogério Correia afirmou à TV 247 que a única maneira de frear os abusos da Lava Jato, que teve como último episódio a ofensiva contra a advocacia nesta semana, é instalar de fato a CPI da Lava Jato na Câmara dos Deputados. O parlamentar lembrou que o pedido para a instauração da comissão já foi apresentado ao presidente da Casa, Rodrigo Maia, com as assinaturas necessárias para a inicialização dos trabalhos.

Segundo Correia, caso Maia não instale a CPI, será necessário ir ao Supremo para fazer com que o inquérito seja colocado. O deputado afirmou que o processo é importante para evitar que pessoas como o ex-juiz Sergio Moro, o ex-coordenador da Lava Jato de Curitiba Deltan Dallagnol e o juiz Marcelo Bretas continuem utilizando o aparato do Estado para promover perseguição política. “Essa Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) já foi entregue ao Rodrigo Maia com 173 assinaturas, precisavam de 172, já feita a conferência e, portanto, ela tem que ser instalada. Ela foi solicitada pelo líder do PDT na Câmara e ele conseguiu, junto com toda a oposição e mais outros setores da Câmara Federal, o número de assinaturas. Essa CPI está pronta para ser instalada. Nós do Partido dos Trabalhadores (PT) e da oposição de um modo geral já estamos solicitando ao Rodrigo Maia, não há justificativa para ele não fazê-lo. Se o deputado Rodrigo Maia, presidente da Casa, não instalar essa CPI, nós vamos ter que ir ao Supremo para que ela seja instalada, mas é fundamental. Se não fizermos isso, o parlamento se curva, como se curvou no passado, aos caprichos de pessoas como Moro e Dallagnol e outros. Eles vão utilizar a Justiça e o Ministério Público para a perseguição de pessoas e de adversários políticos”.

Rogério Correia, Sergio Moro, Marcelo Bretas e Deltan Dallagnol

Leitores On Line