O Partido Democrata oficializou na noite desta terça-feira (18) o ex-vice-presidente Joe Biden, 77 anos, como candidato a desafiar Donald Trump
na eleição de 3 de novembro de 2020.

A segunda noite da convenção democrata formalizou o resultado das primárias do partido, nas quais Biden obteve 3.459 delegados, contra 1.121 do senador Bernie Sanders.

Como o evento acontece de forma virtual devido à pandemia do novo coronavírus, as delegações expressaram seus votos a partir de lugares emblemáticos do próprio estado. No entanto, como Biden venceu as primárias com ampla vantagem, a votação na convenção era mera formalidade.

“Obrigado, obrigado de coração a todos. Vamos nos ver de novo quinta-feira [20]”, disse o candidato, em referência ao último dia do evento, quando ele pronunciará seu discurso. “É a honra da minha vida aceitar a nomeação do Partido Democrata para a Presidência dos Estados Unidos da América”, reforçou Biden no Twitter.

O ex-presidente Barack Obama
, que discursará nesta quarta-feira (19), escreveu na mesma rede social que está “orgulhoso” de seu ex-vice.

Segunda noite

Com tom mais morno que a abertura, a segunda noite da convenção teve como destaques os discursos do ex-presidente Bill Clinton
e da esposa de Biden, Jill.

“Como se reconstrói uma família destruída? Do mesmo modo como se reconstrói um país. Com amor e compreensão, com pequenos atos de empatia. Com coragem e uma fé irremovível”, disse a possível futura primeira-dama.

“Precisamos de uma liderança que valha tanto quanto este país, quanto vocês. Joe fará por suas famílias aquilo que ele fez pela dele”, acrescentou.

a Clinton coube o papel de atacar
Trump
. “Nosso partido está unido ao oferecer uma escolha muito diferente: um presidente que trabalha, um homem simples, que termina aquilo que começa. Um homem com uma missão: assumir a responsabilidade, não jogar a culpa nos outros, concentrado, não distraído, que une e não divide
“, declarou o ex-mandatário.

Clinton ainda criticou o magnata pela gestão da pandemia e da consequente crise econômica, recordando o número de vítimas nos EUA
(171,8 mil) e o desemprego. “Somos o único país industrializado a tê-lo triplicado”, disse.

Assim como a abertura, a segunda noite da convenção também teve declaração de apoio por parte de um expoente republicano
: o ex-secretário de Estado Colin Powell (2001-2005), que afirmou que Biden “não vai adular déspotas e ditadores
“.

“Biden restituirá a liderança americana e nossa autoridade moral”, acrescentou. Na abertura do evento, o ex-governador de Ohio John Kasich, derrotado por Trump nas primárias de 2016, já havia declarado apoio ao democrata.

biden

Candidato dos Democratas, Biden já aparece na liderança de pesquisas de intenção de votos