Covid-19: tratamento com anticorpos de cavalo será testado

Anticorpos são retirados de cavalos que receberam o novo coronavírus

Anticorpos são retirados de cavalos que receberam o novo coronavírus
Reprodução/Pixabay

Pesquisadores na Costa Rica devem iniciar testes de um tratamento barato para o coronavírus a partir de anticorpos produzidos por cavalos que receberam o SARS-Cov-2, vírus que causa o covid-19, de acordo com os cientistas.

Desenvolvido pelo Instituto Clodomiro Picado (ICP) da Universidade da Costa Rica, o medicamento com anticorpos eqüinos será testado em 26 pacientes em meados de setembro, afirmou Roman Macaya, presidente do Fundo de Previdência Social que administra centros de saúde públicos.

Leia também: UFRJ desenvolve teste sorológico 20 vezes mais barato

As autoridades da Costa Rica esperam poder começar a aplicar o tratamento de forma mais ampla em hospitais se os resultados do estudo de fase 2 forem satisfatórios. A Costa Rica tem 471 pacientes hospitalizados com coronavírus.

“Temos orgulho de saber que esse produto salvará vidas até que a vacina chegue à população”, afirmou Alberto Alape, coordenador do projeto do ICP.

“Fazemos com nossos recursos sem ter que ficar na fila ou competir com outros países, como se vê com as possíveis vacinas.”

Esforços semelhantes também estão em andamento na Argentina e no Brasil, enquanto cientistas na Bélgica estão usando lhamas.

Pesquisadores da Costa Rica dizem que seu método para o tratamento da SARS-Cov-2 é baseado na experiência do uso de anticorpos em cavalos para desenvolver antivenenos de cobras.

Eles importaram a proteína do vírus da China e do Reino Unido e a injetaram em seis dos 110 cavalos que o IPC usa para testes.

Leitores On Line