Covid-19: Região Sul reduz em 34% os registros de mortes

Uma das regiões brasileiras mais afetadas pela pandemia nos meses de julho e agosto, o Sul,começa a apresentar consistentes quedas nos registros de mortes em decorrência da Covid-19. Entre o pico de registros, atingido no dia 10 de agosto, e esta segunda-feira, 14, houve uma queda de 34,1%.

Comparando-se os últimos 14 dias, a retração é de 10,6%.  Uma das principais explicações para a diminuição são os registros de Santa Catarina. O estado teve uma baixa de 68,4% nos casos fatais entre o dia 11 de agosto e os dados de hoje. O Paraná também apresenta uma tendência de redução nos dados: a comparação entre 4 de setembro e esta segunda aponta para um número 11,2% menor.  Em ritmo de queda mais lento está o Rio Grande do Sul, com redução de 6,6% de hoje em relação ao pico de mortes mais recente, no último dia 11.

LEIA TAMBÉM
Mundo pode atingir 2,8 milhões de mortes por Covid-19 até fim do ano 

Em toda a região Sul, os casos também começam a estabilizar-se depois de uma expressiva alta ocorrida entre os dias 31 de agosto e 6 de setembro, causado em grande medida por uma escalada de casos em Santa Catarina. A redução em todo o estado em relação a este período, comparado com a data de hoje é de 54,3%.

O cálculo de médias móveis leva em consideração os registros totais dos últimos sete dias divididos por sete. Com este raciocínio é possível atenuar as tradicionais subnotificações de casos e mortes em decorrência da Covid-19 que ocorrem aos finais de semana, quando parte das secretarias de saúde do Brasil encontram dificuldade em reportar indicadores epidemiológicos regionais.

Continua após a publicidade

Nesta segunda-feira, 14, o Brasil teve médias móveis atualizadas em 28.259,4 diagnósticos e 720,9 mortes por conta do novo coronavírus.

Leitores On Line