Corpo de Bombeiros extingue focos de incêndios florestais na Região Serrana do RJ


Focos foram extintos nesta terça-feira (15) após 10 dias de operação. Militares seguem atuando no rescaldo para impedir o retorno das chamas. Após 10 dias de operação, bombeiros extinguem focos de incêndios florestais na Região Serrana do Rio de Janeiro
Divulgação/CBMERJ
O Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro conseguiu extinguir nesta terça-feira (15) os focos de incêndios florestais que atingiam a Região Serrana há 10 dias. A corporação continua trabalhando no monitoramento territorial.
Cerca de 90 bombeiros atuaram nesta terça no combate em localidades de Nova Friburgo, Teresópolis, Duas Barras, além de Sapucaia, Três Rios, Paraíba do Sul e Vila do Pião, que fica entre Carmo e Sumidouro.
As operações contaram com o apoio de viaturas e aeronaves.
Após a extinção dos focos, os militares atuam no trabalho de rescaldo para impedir que as chamas retornem.
A vegetação da região ainda se recupera de incêndios de grandes proporções que atingiram o Parque Nacional da Serra dos Órgãos e a Restinga de Araras em julho e agosto.
Operação dos bombeiros para combater incêndios florestais na Serra do RJ contam com apoio por terra e pelo ar
Divulgação/CBMERJ
De acordo com o Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro, desde o início do período de estiagem, a corporação reforçou as missões de prevenção e combate a queimadas na Serra.
A Operação Extinctus, que reúne esforços de 15 unidades operacionais, atuou em mais de 900 ocorrências. Cerca de 700 militares já foram empenhados nas frentes de trabalho e as aeronaves da corporação já somam mais de 250 horas de voo.
Bombeiros extinguem focos de incêndios florestais na Serra do RJ após 10 dias de operação
Divulgação/CBMERJ
Este é o terceiro ano consecutivo que a corporação mantém um helicóptero baseado na Região Serrana. A ação visa ao apoio nas missões de prevenção e combate a incêndios florestais em época de seca.
A aeronave faz voos de monitoramento ambiental com o objetivo de identificar eventuais focos e evitar a propagação das chamas. O recurso aéreo também é utilizado para agilizar o transporte da tropa e de materiais, quando necessário, e para o combate direto em pontos de difícil acesso por meio do lançamento de água.
Veja outras notícias da região no G1 Região Serrana.
Leitores On Line