Friday, 07 August, 2020

JORNAL TIJUCAS

Coronavírus completa seis meses de emergência de saúde pública global



Em 30 de janeiro, a Covid-19 circulava por apenas 19 países e nenhuma morte fora da China havia sido registrada. Atualmente, o vírus está em transmissão em 216 países e há mais de 655 mil mortos pelo mundo. 6 de fevereiro: Pessoas usam máscaras no Jardim Yuyuan durante o feriado prolongado do Ano Novo Lunar na China em meio ao surto de coronavírus

Estado de emergência em saúde pública internacional devido ao aumento de casos do coronavírus no mundo completa seis meses nesta quinta-feira (30).
Em 30 de janeiro, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o estado de emergência global, o coronavírus estava em circulação na China e em 18 países. Nenhuma morte fora da China havia sido registrada ainda. Seis meses depois, o vírus está em circulação em 216 países e já são mais de 655 mil mortes.
“Quando declarei uma emergência de saúde pública de interesse internacional em 30 de janeiro – o nível mais alto de alarme nos termos do Direito Internacional -, havia menos de 100 casos da Covid-19 e nenhuma morte fora da China”, publicou Tedros Adhanon em seu Twitter na segunda-feira (27).
O diretor-geral da entidade comentou esta semana que a pandemia da Covid-19 é a emergência de saúde pública de interesse internacional mais grave declarada pela OMS.
“Esta é a sexta vez que uma emergência de saúde pública de interesse internacional é declarada sob o Regulamento Sanitário Internacional, e é facilmente a mais grave”, disse Tedros sobre a pandemia do coronavírus esta semana.
Situação da Covid-19 seis meses atrás:
Haviam 213 mortes registradas, todas na China
Eram 9,720 mil casos espalhados por toda a China
Outros 18 países registrava mais de 70 pacientes infectados: Itália, Índia e Filipinas haviam confirmado os primeiros casos
Existiam 9 casos suspeitos no Brasil
A organização decretou estado de emergência global para uma epidemia viral recentemente com um caso que começou no Brasil, o zika vírus. Além disso, outras decisões anteriores foram tomadas para a gripe H1N1, a poliomielite e o ebola.
OMS declara emergência global de saúde com coronavírus
O que é uma emergência pública internacional?
A OMS diz que entende como “emergência pública internacional” apenas “eventos extraordinários”, quando há um risco para a saúde em outros países devido à propagação de doenças, exigindo uma ação coordenada.
Supõe uma situação “grave, repentina, incomum ou inesperada, que tem repercussões para a saúde pública além das fronteiras nacionais do Estado afetado e que pode exigir uma ação internacional imediata”.
Esta decisão cabe à direção-geral da OMS, que se apoia habitualmente no aval do Comitê de Emergência do Regulamento Sanitário Internacional (RSI), que compreende especialistas internacionais na luta contra a doença, a virologia, a elaboração de vacinas ou a epidemiologia das doenças infecciosas.
Quais foram as decisões anteriores similares?
Antes da epidemia do 2019-nCoV, com milhares de casos desde o final de dezembro de 2019 e dezenas de mortes, outras epidemias virais foram declaradas:
– 11 de junho de 2009: a OMS instaura o estado de emergência pública internacional pela epidemia de gripe H1N1 na Ásia. Este vírus contagioso se propaga facilmente de uma pessoa a outra e de um país a outro. O alerta foi suspenso em agosto de 2010 pois o vírus deixou de ser uma ameaça.
O vírus H1N1 de 2009 continua circulando a cada inverno, especialmente no continente europeu (inclusive na Rússia, etc). Faz parte do vírus da gripe comum sazonal, clássica, que a cada ano mata milhares de pessoas.
– 5 de maio de 2014: a OMS decreta um estado “de emergência pública internacional” após a propagação da poliomielite em diversos países – no Afeganistão, no Iraque e na Guiné Equatorial. A poliomielite é uma doença muito contagiosa, provocada por um vírus que invade o sistema nervoso e pode levar a uma paralisia total em algumas horas. Este vírus se propaga de uma pessoa a outra pela via fecal-oral ou, mais raramente, por meio de água ou alimentos contaminados. Febre, astenia, dor de cabeça, vômitos, rigidez na nuca e dores nos membros são os primeiros sintomas. Ela atinge principalmente as crianças com menos de cinco anos. De cinco a 10% dos pacientes morrem já que os músculos respiratórios param de funcionar.
– 8 de agosto de 2014: a OMS decreta uma “emergência pública internacional” para o ebola e pede uma “resposta internacional coordenada”. A epidemia de ebola, a mais grave desde a identificação do vírus na África central em 1976, começou no final de 2013 no sul da Guiné. Ela deixou mais de 11.300 mortos sobre 29.000 casos registrados, segundo a OMS, em 99% em três países vizinhos: Guiné, Libéria e Serra Leoa. O vírus se transmite por contato direto com o sangue, os líquidos biológicos ou os tecidos de pessoas ou animais infectados. Ele provoca uma febre seguida de vômitos, diarreias e algumas hemorragias.
– 1º de fevereiro de 2015: A disseminação do zika vírus e sua provável ligação com casos de microcefalia tornaram-se uma emergência de saúde pública internacional. O grupo foi convocado no final de janeiro de 2015, quando o órgão demonstrou preocupação com a “propagação explosiva” do vírus e estimou que o número de casos nas Américas poderia chegar a 4 milhões naquele ano.

Obter novas postagens por e-mail:

Cadernos

Confira…



Fale conosco
redacao@jornaltijucas.com.br 
+554833330097

 

Leitores On Line

 

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE