Conheça os novos planos para desenvolvimento do turismo de Brusque

Entre as propostas, cidade quer ser reconhecida como a capital de negócios de moda até 2025

Há cerca de três semanas, Programa Cidade Empreendedora entregou à comunidade de Brusque o Plano Municipal de Turismo. O programa é uma parceria entre a Administração Municipal de Brusque e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em Santa Catarina (Sebrae SC).

Para estabelecer um diagnóstico completo, o estudo foi baseado na análise Swot, que avalia forças, fraquezas, oportunidades e ameaças do setor, identificando forças internas e externas que interferem no desenvolvimento do trabalho.

O secretário de Governo e Gestão Estratégica da Prefeitura de Brusque, William Molina, destaca que o objetivo do estudo é dar embasamento a futuros investidores, planejamento investimentos em infraestrutura e estabelecendo estratégias para dar condições à iniciativa privada aplicar recursos na cidade.

“Temos que dar um embasamento teórico e prática para que a iniciativa privada possa investir na região. Na opinião da atual gestão, o turismo só é fortalecido a partir do momento que há um investimento privado. Não é função da prefeitura construir um shopping, um grande hotel, isto é da iniciativa privada. Mas, para que eles possam investir, temos que mostrar nosso potencial, nosso capacidade”.

Foi feito um estudo da quantidade de turistas, equipamentos que podem ser visitados, e também custo para o visitante em relação à hospedagem e alimentação. A intenção é valorizar e potencializar o que já está presente no município para que seja explorado de uma forma sustentável, mas também positiva para a região.

“Pelo estudo que foi feito, foi caracterizado um turismo regional. As pessoas acabam vindo para a nossa região, mas não para especificamente visitar um único local em específico. A nossa referência é a religiosidade. Essas características são fundamentais para que a gente possa fazer investimentos em novas possibilidades, novos equipamentos, como as nossas esculturas. Temos o maior número de atração de esculturas em pedra no mundo. Na minhão, não está valorizado por falta de projetos”.

Molina reforça que o plano não é uma iniciativa apenas da atual administração, mas da sociedade como um todo. Turismólogos participaram das discussões, assim como a Unifebe, Associação Empresarial de Brusque (Acibr) e Convention Bureau. A intenção é deixar um legado que possa ser colocado em prática pelas próximas gestões e contribua para o desenvolvimento da cidade em longo prazo.

“Como ele é construído com participação da sociedade, vira um documento de responsabilidade da sociedade. Ele é um anseio da nossa sociedade, uma perspectiva que criou sobre o turismo da nossa região. Independente de quem for o prefeito, tem um compromisso perante ao que foi descrito”.

O investimento total previsto é de pouco mais de R$ 30,3 milhões. Molina destaca que o município tem recursos próprios que são destinados ao turismo e que dariam conta de fazer tudo que está descrito. “Fizemos uma mensuração financeira, através de um processo contábil. Em nenhum momento damos um passo maior que a perna. Sempre estamos ancorados nas questões que a Prefeitura de Brusque tem possibilidade”.

Planejamento de ações

Em seminário realizado em fevereiro, os participantes definiram as missões para o desenvolvimento do turismo brusquense, que inclui propostas para melhora na infraestrutura, desenvolvimento econômico sustentável e integração do turismo de lazer e negócios na cidade.

Um dos objetivos citados no plano é que Brusque seja reconhecida nacionalmente como a capital do negócio de moda até 2025, além de se tornar referência na criação, desenvolvimento e maior fomentador do setor no país.

O plano também inclui objetivos de médio prazo, de um a três anos, que conduzem a organização e tem como destino atingir a visão de longo prazo.

Plano foi apresentado nesta quarta-feira, 19 | Foto: Prefeitura de Brusque/Divulgação

Com relação à infraestrutura e serviços básicos, as ações planejadas englobam a implantação de uma linha de turismo no município para finais de semana e feriados e de cobertura de Wi-Fi grátis nos principais atrativos turísticos da cidade, revitalização de estradas e implantação de ciclofaixas para a ligação entre a Rota de Cicloturismo do Vale Sagrado com a praça Barão de Schneeburg, obras com investimento estimado de R$ 25,7 milhões.

Em relação aos produtos turísticos, as estratégias são para criação de incentivos de serviços inovadores e integrados à oferta turística regional. As ações planejadas incluem a implantação de balcões de atendimento ao turista, criação de uma rota turística das esculturas e de cicloturismo do Vale Sagrado, ampliação da oferta de visitação à Chácara Edith, elaboração de um planjo para as trilhas da cidade.

Além disso, o plano inclui estratégias para fomentar a capacitação dos empresários e equipes operacionais dos equipamentos turísticos e de apoio ao turismo e fortalecimento do quadro institucional.

A sustentabilidade socioambiental do turismo municipal é um ponto muito explorado e destacado do plano municipal de turismo. De acordo com o documentos, as ações englobam uma campanha de sensibilização turística para moradores e visitantes, criação de lei para projeto de turismo educativo para escolas municipais, e adaptação de meios de hospedagem e infraestrutura acessível à pessoas com deficiência.

“A parte da prefeitura, o que cabe à gestão, já tem uma metodologia de prazos, investimentos. Como vai haver uma eleição no fim do ano, a gente não pode criar o compromisso de dizer que o vencedor da eleição vai fazer no prazo estimado. Tomamos muito cuidado para não investir tanto dinheiro e trabalho em algo que fosse só desta gestão, ali tem uma coletânea de toda a sociedade brusquense”.

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line