“Como lidar com as diferenças”

Ser diferente é normal! No entanto, talvez, a grande dificuldade seja exatamente em lidar com a normalidade das coisas. Talvez, nós é que sejamos anormais. Se pegarmos a etimologia da palavra, normal vem de “normalis” ou “norma” do latim, que estava diretamente associado a régua do carpinteiro, que traçava retas, e é daí que vem a expressão “de acordo com as regras ou com a medida”. Mas qual é a regra? Qual é a medida? E quando elas foram estabelecidas?

Seguimos modelos, padrões pré estabelecidos de beleza, de conduta, de religião. Para quase tudo existe um modelo. Mas talvez, o problema é que ao criarmos estes modelos, acabamos muitas vezes por negligenciar outros modelos que podem ser igualmente importantes e belos. Cada qual com suas características, mas igualmente importantes. Ora, esta é a beleza da vida! Se todos nós fossemos na mesma medida, normais, este mundo não teria evoluído. São as diferenças que somadas trazem a evolução. Elas não existem para que briguemos. Não existem para que entremos em guerra. E sim, para que possamos expandir nossas consciências a respeito da vida e de nós mesmos

Só que pra isso, eu preciso entender que a régua do carpinteiro não é a única ferramenta capaz de medir. E que nem toda linha reta é bela. É preciso sair vestir da carapuça da humildade para reconhecer que o outro, suas opiniões e crenças são igualmente importantes as suas. É preciso reconhecer que não há nada de errado em ser diferente. E sim, que o erro consiste em tentar fazer com que pessoas diferentes sejam iguais quando não são.

E nesse caso, já quero deixar um grande aprendizado. Toda pessoa sofre quando quer ou tenta ser aquilo que não é.
Portanto, esqueça estes modelos. Seja você mesmo, mas também aceite e respeite o direito do outro ser quem é! Essa é uma das maiores belezas da vida. Aprecie sem moderação!

Leitores On Line