Comissão busca alternativas para manter emergência pediátrica em São José

A Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa realizou, na manhã desta quarta-feira (5), reunião para discutir: “Os reflexos negativos para a assistência à infância e adolescência com o fechamento ou transferência do atendimento da emergência pediátrica realizado no Hospital Regional Homero de Miranda Gomes, em São José.” Essa ação gerou preocupação entre os membros da comissão de entidades, já que o serviço é fundamental, principalmente por ser um hospital de alta complexidade e estar localizado num local estratégico, atendendo vários municípios do entorno.

De acordo com o deputado Neodi Saretta (PT), presidente da Comissão de Saúde, há uma preocupação grande com relação ao atendimento da emergência de pediatria realizado nos hospitais regional de São José e no de Florianópolis, e também com a pandemia que pode estar atingindo o pico em Santa Catarina. “A nossa preocupação é que a Secretaria Estadual da Saúde encontre uma forma de manter esse atendimento pediátrico, até porque, caso haja algum um tipo de transferência para outro local, tem que ter uma ampla comunicação para que as pessoas possam saber dessas alterações, já que não há transporte coletivo”, disse o deputado. A argumentação da Secretaria Estadual da Saúde é que a transferência temporária desses atendimentos de emergência em pediatria nesses locais poderia permitir a abertura de novos leitos de UTI.

Saretta falou ainda da necessidade de novos leitos de UTI, mas reforçou a importância de garantir o atendimento de emergência pediátrica. “Esperamos que o encaminhamento seja o melhor possível e que possa ter uma ampliação dos atendimentos da área da Covid, com os leitos de UTI e, ao mesmo tempo, também garantir o atendimento de emergência pediátrica não havendo nenhum prejuízo para a população.”

Para o médico pediatra do Hospital Regional de São José, Kempes Spencer, o fechamento temporário do setor pode colocar em risco a população dessa faixa etária, principalmente a de famílias mais carentes, que terão dificuldades para se deslocar para receber atendimento em outros locais, como o Hospital Infantil, em Florianópolis.

Na emergência infantil do Hospital Regional são atendidas em média de 3 mil a 5 mil crianças e adolescentes por mês, de diferentes cidade da Grande Florianópolis. Somente em 2019, foram atendidas mais de 50 mil emergências e casos graves como acidentes, queimaduras, paradas cardiorrespiratórias, convulsões e politraumatismos. O local também é referência para atendimento de crianças e adolescentes vítimas de abusos.

Participaram da reunião os deputados membros da Comissão de Saúde, o secretário Estadual de Saúde, André Motta Ribeiro, Kempes Spencer, médico pediatra do Hospital Regional de São José, Sociedade Catarinense de Pediatria, Conselho Superior das Entidades Médicas de SC (Cosemesc) e SindSaúde.

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line