Cometa Neowise: veja fotos da passagem do corpo celeste pelo mundo

Milhares de fotografias e vídeos têm registrado a rara passagem do cometa Neowise nas proximidades da Terra. Por diversos continentes, especialmente a noite, as imagens de fotógrafos amadores e profissionais mostram a luz intensa do corpo celeste, que poderá ser avistado por brasileiros até 31 de julho.

A aproximação máxima do cometa ocorreu na quinta-feira, 23. Na região Sudeste, ele deve ser melhor observado a partir desta sexta-feira, 24, e, no Sul, por volta de domingo, 26.

O ideal é olhar à direita do ponto onde o Sol se põe. Os interessados em ver essa passagem precisam estar atentos porque somente daqui a 6.800 anos é que ele estará por aqui novamente.

Outra ressalva é que fenômenos como esse variam muito de um dia para o outro, são imprevisíveis e algumas condições são necessárias para que a cena seja registrada.

Meu registro do Cometa C/2020 F3 (NEOWISE) em Boa Vista! ⁣⁣ ⁣ Na observação que fiz, notei uma certa dificuldade para observar a olho nu, sendo possível ver somente uma mancha que lembra o cometa. Porém através de binóculos a observação é bem semelhante a imagem!⁣ ⁣ O cometa ainda estará visível nos próximos dias, mas infelizmente ficando cada vez mais escuro. ⁣ Recomendo ir pra uma área longe das luzes da cidade e com horizonte livre. ⁣ Facilmente registrado através de câmeras e até celulares com controles manuais de exposição. . . . . #milkywaychasers⁣ #longexposure_shots⁣ #nightimages ⁣ #nightshooterz⁣ #nightshooters⁣ #nightpics⁣ #milkywaygalaxy ⁣ #astrophotography⁣ #astrophoto ⁣ #astro_photography ⁣ #longexposure ⁣ #longexpohunter⁣ #longexpo⁣ #amazingearth ⁣ #natgeospace ⁣ #milkyway ⁣ #nightphotography ⁣ #longexpoelite⁣ #night_captures⁣ #beautifuldestinations⁣ #nightsky ⁣ #nightscape⁣ #roraima #ig_roraima #portalroraima

Uma publicação compartilhada por Abreu Mubarac (@abreumubarac) em 20 de Jul, 2020 às 7:15 PDT

Segundo o astrofísico Roberto Dell’Aglio Dias da Costa, do Departamento de Astronomia do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo (IAG-USP), um binóculo comum ou uma luneta podem ajudar a visualizar a passagem do cometa. O que se verá é uma forma característica: uma cabeça brilhante com cauda, fácil de identificar em meio a estrelas.

Para a próxima semana, o clima deve ajudar a ter um céu com poucas nuvens. Costa diz, ainda, que quem estiver nas regiões Norte e Nordeste verá o cometa melhor do que quem estiver no Sudeste, que por sua vez terá uma visão mais nítida de quem mora no Sul.

A olho nu, a pessoa terá a impressão de que o corpo celeste está imóvel em relação ao fundo estrelado, mas caso faça uso de um binóculo, será possível ver um movimento lento no céu.

Com Agências

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.