Com metade dos leitos ocupados, Hospital de Campanha deixa de receber novos pacientes com Covid-19 em Roraima


Administração do hospital informou que encerrou prazo do termo de cooperação firmando durante situação emergencial na pandemia. Unidade começou a funcionar em junho para desafogar o HGR, que na época, operava no limite da capacidade. Hospital de Campanha é chamado de Área de Proteção e Cuidados e fica na zona Sul de Boa Vista
Prefeitura de Boa Vista/Divulgação
O Hospital de Campanha para infectados com coronavírus deixa de receber novos pacientes a partir desta quinta-feira (1º), em Boa Vista. A unidade começou a funcionar em junho para desafogar o Hospital Geral de Roraima, que, à época, operava no limite da capacidade.
A unidade recebeu os últimos pacientes infectados na madrugada desta quinta-feira (30).
O Hospital de Campanha foi montado pela Operação Acolhida, responsável responsável pelo atendimento da imigração venezuelana no estado, e funcionava por meio de um termo de cooperação entre o governo e a prefeitura de Boa Vista.
O fechamento da unidade para novos pacientes ocorreu porque, segundo a Acolhida, houve redução no número de mortes por Covid-19 e infectados. Além disso, a assessoria informou que se encerrou o prazo do termo de cooperação firmando durante a situação emergencial na pandemia.
Até essa quarta-feira, a unidade, estava com mais da metade dos leitos clínicos ocupados: dos 120, em 80 havia pacientes, o que representa 67% de ocupação. Já nos leitos de UTI a taxa de ocupação era de 45%: em 10 dos 22 leitos havia paciente internado. Os dados são do boletim epidemiológico divulgado nessa quarta-feira (29) pela Saúde estadual.
Os pacientes internados serão atendidos até receberem alta, “independente da data”, informou a Acolhida. Também serão mantidas os serviços que fisioterapia e consultas de retorno conforme o já programado.
O governo estadual disse ter interesse em reaproveitar parte da estrutura para reforçar a saúde no estado.
Roraima registrou nesta quarta-feira 50.681 infectados e 654 mortes pela doença. A taxa de ocupação no HGR está em 74% para os leitos clínicos.
Hospital de Campanha
O Hospital de Campanha passou a funcionar em junho deste ano, três meses depois do previsto e com seis adiamentos da inauguração. Na época, o governo alegou falta de equipamentos profissionais para atuarem no local.
Após a troca de quatro secretários da Saúde, durante a pandemia, o governador chegou a dizer que os ex-chefes da pasta atrapalharam a gestão no combate ao coronavírus. Na época em que o Hospital de Campanha foi anunciado, Roraima tinha dois casos da doença e nenhuma morte pela doença havia sido registrada.
Já o Hospital Geral de Roraima, registrou por quatro dias seguidos 100% na taxa de ocupação dos leitos de UTI para coronavírus no mês de setembro.
Sem novos pacientes com Covid-19 no APC

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line