Com agendamentos, Diocese de Cruzeiro do Sul retoma missas aos finais de semana


Bispo afirma que, caso prefeitura volte atrás na decisão de liberar atividades religiosas, missas tornam a ser suspensas. Com agendamentos, Diocese de Cruzeiro do Sul retoma missas aos finais de semana

Após a prefeitura de Cruzeiro do Sul, no interior do Acre, liberar as atividades religiosas na cidade, a Diocese do município começou a fazer missas por meio de agendamento neste final de semana, segundo informou o bispo Dom Flávio Giovanale.
Além do agendamento para receber os fiéis, a igreja também aumentou o número de missas. Na Catedral Nossa Senhora da Glória, por exemplo, que é a maior da cidade, de duas subiu para três celebrações que ocorrem no sábado e no domingo.
A capacidade da igreja é de receber até mil pessoas por missa, mas, com a redução em 30% em cada uma das celebrações estiveram presentes cerca de 180 pessoas. Em outras igrejas o número foi menor, conforme a capacidade permitida.
“Começamos no sábado [18] e vai ser apenas aos finais de semana. Durante a semana, continuamos apenas com as lives por meio das redes sociais. As inscrições são feitas na secretaria da paróquia e depois tem uma equipe de acolhida com álcool em gel e tudo mais e a lista daqueles que se inscreveram”, disse.
O bispo ainda informou que os bancos são identificados por meio dos números das inscrições, só permitem até três pessoas e obedecem o espaço de dois metros entre um e outro. Os bancos que não podem ser utilizados são isolados por fitas.
Os abraços estão proibidos e também é recomendado que idosos e pessoas do grupo de risco fiquem em casa. Os presentes devem estar usando máscaras e álcool em gel e a comunhão foi entregue em mãos.
“Graças a Deus funcionou bem. Todas as igrejas aumentaram o número de celebrações para receber as pessoas que fizeram o agendamento”, informou o bispo.
Francisca Souza, de 72 anos, que estava há quatro meses sem comparecer à igreja, disse que a pior parte do isolamento foi não poder ir às missas. “O que mais senti falta e que achei mais difícil foi a gente ficar sem vir à igreja”, contou.
O fiel Francisco Nilson disse que sempre buscou participar das celebrações que eram transmitidas pela internet e que a volta é uma renovação da fé.
“É uma nova etapa nesse caminho com Deus. Acredito que agora com a abertura da igreja vai fortalecer a fé e também a espiritualidade. É um caminho novo de uma nova etapa da minha vida”, comemorou.
Em Cruzeiro do Sul, Igreja Católica retoma as missas seguindo regras
Reabertura
A decisão da prefeitura em liberar as atividades religiosas ocorreu após a cidade mudar da situação de emergência para a de alerta, sinalizada pela cor laranja e montou um plano de retomada das atividades. Mas, eventos religiosos só podem voltar na fase amarela, de acordo com o Pacto Acre Sem Covid.
Uma recomendação do Ministério Público Estadual (MP-AC) determina que as 22 cidades do Acre se adequem ao plano do governo que determinas a volta das atividades por meio fases que é determinada por cores.
O prazo encerrou na sexta com resposta de alguns municípios. MP aguarda nova reclassificação deve ser anunciada nesta segunda-feira (20) para tomar medidas.
Em entrevista ao G1, no último sábado (18), o promotor de justiça Glaucio Oshiro, afirmou que muitas cidades já responderam à recomendação do MP, entre elas está Cruzeiro do Sul, na qual ele afirma que houve um erro na comunicação.
“Cruzeiro do Sul respondeu, mas, parece estar ocorrendo um equívoco de entendimento. Eles fizeram a justificativa deles e disseram que simplesmente entendem que estão cumprindo, então com Cruzeiro do Sul, vamos alinhar com a promotoria de lá a respeito das providências, diálogo inicialmente, fazer uma reunião para fazê-los entender”, afirmou o promotor.
Quando autorizou a reabertura das atividades religiosas, o prefeito Ilderlei Cordeiro afirmou que cada município tem sua política independente.
“O estado tem sua visão e sua política de trabalho e os municípios são independentes e têm sua Vigilância Sanitária. Aqui em Cruzeiro do Sul, a gente tem uma comissão que foi instalada para fazer esse trabalho de avaliação. Cruzeiro do Sul não está sendo contra ou confrontando o governo, o município tem sua política independente, que segue os critérios da Vigilância e ver qual melhor solução para poder resolver os problemas da nossa cidade. Graças a Deus nossa equipe avaliou e estamos reabrindo tudo, 30% algumas coisas, outros menos e outros mais”, disse Cordeiro á época.
‘Em primeiro lugar a vida’
O bispo Dom Giovanele disse que tem conhecimento da recomendação feita pelo MP e que aguarda um posicionamento da prefeitura.
“Para nós aqui ainda não veio da prefeitura nenhuma contraordem. Eles explicaram ao Ministério Público que as condições de Cruzeiro do Sul habilitam a ter condição amarela”, disse.
Além disso, o bispo reforçou que, caso a prefeitura volte atrás na decisão, a igreja também volta a suspender as atividades.
“Se vier a ordem de fechar, vamos fechar sem fazer nenhuma guerra. Em primeiro lugar é a vida. Os mortos, acredito que ressuscitam, mas eles não podem louvar a Deus aqui na terra, então, se por acaso vier uma notificação dizendo: ‘olhem no próximo final de semana não será possível’, nós vamos respeitar. Nesse caso é o respeito às autoridades e a competência de cada um”, concluiu.
Casos de Covid-19 no Acre
Até o domingo (19), o Acre tinha registrado mais de 17,2 mil casos de Covid-19 e 460 mortes, de acordo com o boletim da Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre). Em Cruzeiro do Sul, que ainda tem uma das maiores taxas de contaminação pela doença no estado, foram registrados 2.422 casos.
Entre as 11 cidades cidades que liberaram as atividades religiosas, mesmo com o crescimento do número de casos de Covid-19, quatro já voltaram atrás e tornaram a suspender as atividades por meio decretos.

Com Agências

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line