Brasil registra 1,3 mil mortes em 24h e passa de 74 mil vítimas fatais por coronavírus

Cemitério Vila Formosa, em São Paulo. Foto: Miguel SCHINCARIOL/AFPCemitério Vila Formosa, em São Paulo. Foto: Miguel SCHINCARIOL/AFP

O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) registrou 1.300 mortes e 41.857 contaminações por coronavírus nas últimas 24 horas, segundo atualização desta terça-feira 14. No total, o Brasil contabiliza, 74.133 vítimas fatais e 1.926.824 casos confirmados.

Os brasileiros ocupam a vice-liderança nos rankings mundiais de mortes e de casos de coronavírus, segundo a Universidade Johns Hopkins. No topo da lista, os Estados Unidos acumulam mais de 136 mil óbitos e 3,4 milhões de infectados.

São Paulo segue como o estado líder dos piores índices da pandemia, com 18.324 mortes e 386.607 casos. No entanto, o governador João Doria (PSDB) autorizou reabertura de bares, restaurantes, academias, e já prevê a volta às aulas para 8 de setembro

Próximo dos 2 milhões de casos de covid-19, o Brasil ainda não tem chefe definitivo para o Ministério da Saúde. Desde que Nelson Teich deixou a pasta em 15 de maio, o comando está nas mãos do general Eduardo Pazuello, de forma interina, por decisão do governo do presidente Jair Bolsonaro.

Para o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), “o Exército está se associando a esse genocídio” durante a pandemia, estando à frente do Ministério da Saúde. A declaração ocorreu em transmissão ao vivo realizada pela revista IstoÉ.

Em resposta à fala de Gilmar Mendes, o Ministério da Defesa decidiu entrar com uma ação na Procuradoria-Geral da República (PGR). O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, também subiu o tom contra o magistrado e exigiu pedido de desculpas.

Com Agências

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line