Bovespa opera em alta de olho em anúncios do Copom e do Fed


Nesta terça-feira, o Ibovespa fechou em alta de 0,02%, a 100.297 pontos. A bolsa de valores brasileira, a B3, opera em alta nesta quarta-feira (16), acompanhando o viés positivo de praças acionárias no exterior, em dia de decisões sobre política monetária nos Estados Unidos e no Brasil. A estimativa do mercado é de manutenção da taxa de juros no Brasil (Selic) em 2% ao ano.
Às 10h08, o Ibovespa subia 0,19%, a 100.485 pontos. Veja mais cotações.
Na terça-feira, a bolsa fechou em alta de 0,02%, a 100.297 pontos. No mês, o Ibovespa acumula alta de 0,93%. No ano, ainda tem perda de 13,27%.
No exterior, o barril de petróleo Brent subia mais de 2%, sendo negociado acima de US$ 41.
Cenário local
Em meio à alta dos alimentos, o Banco Central deve interromper nesta quarta-feira o ciclo de cortes e manter juro básico em 2% ao ano. A decisão do Comitê de Política Monetária será anunciada por volta das 18h.
Os investidores seguem de olho também na política local e no enfraquecimento da equipe econômica do ministro Paulo Guedes, após o presidente Jair Bolsonaro decretar o fim da proposta do Renda Brasil e proibiu que integrantes do governo voltem a falar sobre o programa.
Apesar das preocupações com as divergências entre o presidente e a equipe de Guedes, a avaliação de parte dos analistas é de que ao tirar o Renda Brasil da pauta, o governo pode abrir espaço para o avanço de temas da agenda legislativa considerados mais urgentes como as reformas administrativa e tributária.
Paulo Guedes diz para equipe não falar nada antes da orientação dele ou da Presidência

Cena externa
Nos EUA, o Federal Reserve (Fed), anunciará às 15h a sua decisão sobre a taxa de juros na maior economia do mundo. Os mercados estão ansiosos para ver as projeções econômicas do Fed e, particularmente, se ele especificará para onde vê a inflação se dirigindo e o que exatamente isso significa para a taxa de juros, que está na faixa entre 0% e 0,25%.
O encontro é o primeiro do Fed sob uma estrutura recém-adotada que promete lançar a inflação para o patamar acima de 2% para compensar períodos, como o atual, em que está abaixo da meta.
Nesta quarta, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), melhorou as projeções para a economia mundial e passou a ver uma recessão menos severa em 2020, embora a estimativa para 2021 tenha piorado.
OCDE melhora projeção para PIB do Brasil e vê recessão mundial menos severa em 2020
Variação do Ibovespa em 2020
G1 Economia
Veja vídeos: últimas notícias de Economia
i

Leitores On Line