requestAnimationFrame(function ()
{
setTimeout(function ()
{
window._perfMarker && window._perfMarker(“TTVR.ArticleContent”, true, true);
define(“c.articleContent”, 1);
}, 0);
});

Um senhor de 73 anos é o mais recente caso confirmado de Covid-19 no bairro Palmital, em Lagoa Santa, Região Metropolitana de Belo Horizonte. O bairro, localizado na região norte da cidade, é o epicentro de casos, são 41 ao todo, sendo que os segundos lugares, Campinho e Centro, têm 25 casos confirmados cada um. O crescimento de registros de Covid-19 no bairro Palmital é superior a qualquer outro na cidade. No dia 26 de agosto eram 36 casos, cinco novas confirmações em menos de uma semana, sendo que os outros dois bairros, o crescimento foi de um caso para cada bairro no mesmo período. De acordo com a Secretaria de Saúde de Lagoa Santa, o bairro Palmital é um dos mais populosos do município, com 5300 pessoas cadastradas na unidade de saúde. O bairro é caracterizado por muitas construções verticalizadas e sítios para aluguéis de eventos. Trata-se de uma região com características de moradores que saem para o trabalho em outros bairros e também em outras cidades e consequentemente, estando expostos a outros ambientes. Uma moradora que não quis se identificar afirma que um dos problemas do bairro é o transporte público que no horário de pico vive lotado, impossibilitando os moradores de fazer o distanciamento social. A Secretaria de Saúde observa que os bairros mais afastados da região central do município, com o passar do tempo, diminuíram a adesão ao uso de máscaras e ao distanciamento social, que são as principais medidas para evitar a disseminação do Coronavírus. Estes fatores, segundo a Secretaria, aumentaram a exposição desta população e contribuíram para o aumento de casos da Covid-19 na região. Fiscalização A rua Ana Gonçalves é uma das principais do bairro, com muitos estabelecimentos comerciais, residenciais, circulação de transporte público e também onde localiza um dos conjuntos habitacionais mais populosos da cidade, o Bem Viver. Muitos dos moradores já não usam a máscara como medida de prevenção e muitos locais do bairro têm sido focos de aglomeração. De acordo com a Diretoria de Regulação Urbana, cerca de 20% das denúncias de aglomeração na cidade vêm do bairro Palmital. A fiscalização atua nos comércios e nos sítios da região e o trabalho é feito por fiscais municipais, fiscais da vigilância sanitária e conta com a parceria da Polícia Militar. As denúncias podem ser feitas pelo site da prefeitura no link Fiscaliza ou pelo telefone ( 31) 3688-1487

Leia Mais