Aumento de casos de Covid-19 na Europa e no Oriente Médio leva países a adotarem restrições

Com o aumento de casos da Covid-19 na Europa e no Oriente Médio, países voltam a adotar restrições de circulação para enfrentar a segunda onda. Israel foi o primeiro país a retomar o confinamento após o aumento no número de infectados. O isolamento deve durar três semanas, no período de feriados judaicos, e os cidadãos só vão poder circular por até 500 metros de casa. O professor Benjmain Serber, que foi criado no Brasil, mora há 20 quilômetros de Tel-Aviv e relata que a situação piorou bastante.

Em Viena, capital da Áustria, as máscaras voltaram a ser obrigatórias em todos os espaços fechados. A paraense Larissa Santos, que mora na cidade há quatro anos, diz que o número de infectados aumentou com a chegada do verão. O panorama é semelhante na Dinamarca, onde a diminuição dos casos levou a uma flexibilização — mas os casos estão aumentando. O publicitário Enzo Lopes, morador da capital Copenhague, conta que as autoridades estão voltando a fechar o cerco. Nesta semana, a Organização Mundial da Saúde classificou a situação do coronavírus na Europa como muito grave. O diretor regional da OMS, Hans Kluge, pediu uma ação coordenada dos países do continente.

*Com informações da repórter Caterina Achutti

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line