Atleta olímpico se assume homem trans e poderá continuar jogando pela liga feminina

Rebecca Quinn, atualmente Quenny, ficou conhecido por conquistar a medalha de bronze das olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro, pela seleção feminina de futebol canadense. Há algum tempo, o atleta se assumiu homem trans, mas poderá continuar competindo na liga feminina.

De acordo com o regulamento da liga, o esportista só deve ser obrigado a deixar a seleção feminina, caso inicie um outro processo da transição, que é a hormonização. Em recente post em seu perfil no Instagram, Quenny falou sobre o seu futuro:

“Sair do armário é DIFÍCIL. Eu sei que para mim é algo que farei sempre pelo resto da minha vida. Como vivi como uma pessoa abertamente trans e atleta olímpico com as pessoas que mais amo por muitos anos, sempre me perguntei quando me revelaria publicamente.

O Instagram é um espaço estranho. Eu queria resumir os sentimentos que tive em relação à minha identidade trans em uma postagem, mas não é exatamente por isso que alguém está aqui, inclusive eu.

Então, em vez disso, quero estar visível para pessoas queer que não veem pessoas como elas em seus feeds. Eu sei que salvou minha vida anos atrás. Eu quero desafiar o pessoal cis (se você não sabe o que cis significa, provavelmente é você !!!) a serem melhores aliados.

É um processo e sei que não será perfeito, mas se posso encorajá-lo a começar, então é algo. 1) coloque seus pronomes em sua biografia 2) seguir / ouvir outras vozes trans / nb 3) praticar o uso de pronomes de gênero neutro com amigos / em um espelho 4) votar 5) comece a se pegar fazendo suposições sobre as pessoas em público / banheiros / qualquer espaço”, escreveu o atleta.

Rebecca Quinn, atual Quenny à esquerdaRebecca Quinn, atual Quenny à esquerda (Reprodução)

Leitores On Line