‘Até 2022, está proibido falar a palavra Renda Brasil. Vamos continuar com Bolsa Família e ponto final’, diz Bolsonaro

Após semanas de um impasse sobre a fonte de recursos para criar o Renda Brasil, o presidente Jair Bolsonaro disse, nesta terça-feira (dia 15), que a criação do novo programa social está suspensa até 2022.

— Até 2022, no meu governo, está proibido falar a palavra Renda Brasil. Vamos continuar com Bolsa Família e ponto final — disse Bolsonaro, em uma rede social.

A decisão do presidente foi tomada após a repercussão de reportagens sobre os planos da equipe econômica, liderada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, de cortar outras despesas para abrir espaço no Orçamento e viabilizar o novo benefício, que seria mais amplo que o Bolsa Família.

‘Só posso dar um cartão vermelho para essa pessoa’

A proposta mais recente foi congelar por dois anos aposentadorias e pensões. A ideia foi defendida pelo secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues, em entrevista ao portal G1 e confirmada pelo EXTRA com fontes que participam da elaboração da medida.

Ao comentar as declarações, Bolsonaro disse que quem defende esse tipo de proposta merece um “cartão vermelho”. Ele negou também negou a possibilidade de apertar regras de concessão do Benefício de Prestação Continuada (BPC/Loas), pago a idosos e pessoas com deficiência pobres, mencionada em reportagem da “Folha de S.Paulo”.

— Eu já disse há poucas semanas que eu jamais vou tirar dinheiro dos pobres para dar para os paupérrimos. Quem, por ventura, vier propor uma medida como essa eu só posso dar um cartão vermelho para essa pessoa. É gente que não tem o mínimo de coração, o mínimo de entendimento, sobre como vivem os aposentados do Brasil. Pode ser que alguém da equipe econômica tenha falado sobre esse assunto, mas por parte do governo jamais vamos congelar salários de aposentados, bem como jamais vamos fazer com que o auxílio para idosos e pobres com deficiência seja reduzida em qualquer coisa — disse Bolsonaro.

Leitores On Line