Apreensões de maconha nas rodovias federais crescem 172% no país durante a pandemia do novo coronavírus

Foram apreendidas mais de 367,3 toneladas da droga entre abril e julho deste ano, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu 367,3 toneladas de maconha no país entre abril e julho deste ano. Esse número representa uma alta de 172% em comparação com as 135,2 toneladas da droga interceptadas pela corporação em todo o Brasil no mesmo período de 2019. É o que aponta levantamento da PRF obtido pela GloboNews por meio da Lei de Acesso à Informação.
No estado de São Paulo, as apreensões de maconha mais do que triplicaram no mesmo período. Houve uma alta de 2,9 toneladas para 9,9 toneladas de maconha retiradas de circulação pelos policiais rodoviários federais do ano passado para cá, o que representação uma variação de 241% na quantidade de maconha apreendida pelos agentes da PRF no estado.
Apreensão de maconha em rodovias federais – abril a julho
Toneladas:
2018 – 131,6
2019 – 135,2
2020 – 367,3 (+ 172%)
Fonte: Polícia Rodoviária Federal
Apreensão de cocaína em rodovias federais – abril a julho
Toneladas:
2018 – 6
2019 – 7
2020 – 9,6 (+ 37%)
Fonte: Polícia Rodoviária Federal
Apreensão de maconha em rodovias federais de SP – abril a julho
Toneladas:
2018 – 17,1
2019 – 2,9
2020 – 9,9 + 241%
Fonte: Polícia Rodoviária Federal
Apreensão de cocaína nas rodovias federais de SP – abril a julho
Quilos:
2018 – 37,3
2019 – 235
2020 – 843 (+ 259%)
Fonte: Polícia Rodoviária Federal
Análise
Para Rafael Alcadipani, professor da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP) e membro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o aumento da apreensão de drogas dentro do país tem relação com a maior dificuldade para os traficantes exportarem drogas, dada a queda da movimentação nos portos e aeroportos brasileiros, por onde entorpecentes, sobretudo a cocaína, necessariamente passa no caminho a destinos como Europa, Ásia e África.
“A pandemia acabou restringindo o tráfico de drogas para fora do Brasil. E começou-se a entrar muita droga no Brasil que não conseguiu ser exportada, o que tornou mais fácil a apreensão da polícia. Também houve um aumento de inteligência por parte da Polícia. E um terceiro aspecto é que com menos veículos nas ruas, os policiais conseguem focar mais na apreensão”, explica Alcadipani.
De acordo com o especialista, um fator operacional também pode ter contribuído para o aumento das apreensões de drogas durante o período de pandemia da Covid-19.
“A questão é que onde existem rotas de tráfico, passam as duas drogas. Com menos veículos nas ruas, menos exportação e aumento na inteligência, você consegue ter um aumento expressivo nas apreensões de drogas. A gente viu que houve uma redução expressiva de acidente nas rodovias. Isso faz com que o policial federal possa estar empenhado nas outras atividades.”
Leitores On Line