Após uma semana de queda, Brasil volta à estabilidade na média de mortes por Covid

Segundo o levantamento do consórcio de veículos de imprensa, o Brasil registrou 454 mortes por coronavírus em 24 horas. O total de mortos chega a 132.117. Após uma semana de queda, Brasil volta à estabilidade na média de mortes por Covid
Os dados atualizados do consórcio de veículos de imprensa indicam que o Brasil voltou à estabilidade na média de mortes. Alan Severiano traz os detalhes. Segundo o levantamento atualizado às 20h, o Brasil registrou 454 mortes nas últimas 24 horas. No total, 132.117 pessoas morreram vítimas da Covid no país.
De domingo (13) para segunda (14), 19.392 novos casos da doença foram registrados. Desde o começo da pandemia, já são 4.349.544 casos confirmados. A média está em 28.849 nos últimos sete dias, uma redução de 28% em relação à média de 14 dias atrás. Agora, o gráfico da média diária de mortes. São 731 mortes – uma redução de 15% em relação à média de 14 dias atrás.
No último sábado, destacamos que essa queda vem diminuindo. Na terça passada, a redução foi de 26%. De lá para cá, a queda perdeu força para 25%, 21%, 18% e agora 15%, número que os especialistas consideram no limite da estabilidade. Ou seja, depois de sete dias de queda, temos agora estabilidade na média de mortes.
Nesta segunda, dois estados aparecem no grupo com alta na média móvel de mortes: Acre, com 78% de aumento, e o Ceará, com 16%.
Doze estados e o Distrito Federal estão em estabilidade — o que significa que a média diária de mortes variou até 15%, para mais ou para menos: Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, que estava em queda, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, Rondônia, que estava com redução, Roraima, que saiu do grupo dos estados em alta, Maranhão, Pernambuco e Sergipe.
Os estados com redução na média diária de mortes são 12: Santa Catarina, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Amazonas, Amapá, Tocantins, Alagoas, Bahia, Paraíba, Piauí e Rio Grande do Norte.
As maiores reduções foram registradas no Rio Grande do Norte, de 68%, e no Amapá, de 67%.
Veja o mapa de seu estado.
Leitores On Line