Após dizer que prefeito “merece apanhar”, vereador é alvo de pedido de cassação em Joinville

Em sua defesa, Odir Nunes alegou que nunca incitou a violência
Em sua defesa, Odir Nunes alegou que nunca incitou a violência (Foto: Mauro Schlieck, CVJ, Divulgação)

Após as declarações de que o prefeito Udo Döhler “merecia apanhar”, o vereador Odir Nunes (PSDB) é alvo de comissão processante por causa da acusação de quebra de decoro parlamentar. A apuração, solicitada por representação de cidadão, foi aprovada por 11 votos a cinco pela Câmara de Joinville. As comissões processantes têm 90 dias para elaborar um parecer sobre a acusação. Se dois terços dos vereadores (13) considerarem procedente a representação, o vereador pode ter o mandato cassado.

A manifestação de Odir ocorreu na semana passada, quando foi realizada passeata de protesto pelos atrasos e transtornos na drenagem do rio Mathias, em obras contratadas pela prefeitura de Joinville. O vereador disse que, se ele fosse um dos dos empresários impactados, iria “atrás do prefeito”. “Merece apanhar porque aonde já se viu deixar famílias inteiras passando dificuldades”, alegou o vereador oposicionista.

Na sessão da noite de quarta-feira, Odir alegou que “nunca incitou a violência” e disse que foi “levado pela emoção”, informando ter pedido desculpas em manifestação na imprensa. Em nota divulgada na manhã desta quinta, o vereador voltou a dizer que “não deveria dito” (“força de expressão, jamais defendi a violência e não vejo nela solução”, mas subiu o tom. “Não adianta retração ou pedir perdão, o que querem de fato é nos calar! A perseguição do politicamente correto chegou à Câmara”, reclamou o parlamentar, com críticas à base aliada e à gestão de Udo Döhler.

Na sessão de aprovação da abertura da comissão processantes, parte dos vereadores da base criticou as declarações de Odir em relação prefeito. Também foram lembrados discursos anteriores do vereador, referentes aos colegas e considerados ofensivos. O presidentre da comissão processante, Mauricinho Soares (MDB), disse já ter sido “humilhado” por Odir.

PREFEITURA REPUDIA

Em nota, a prefeitura de Joinville alegou lamentar a posição do vereador. “Essa postura não é admissível a um vereador que, mesmo tendo o direito de emitir a sua opinião, não é apropriada uma declaração que incentive a violência a qualquer joinvilense. A Prefeitura de Joinville condena e repudia esse tipo de atitude”.

Com Agências

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.