Amazônia Legal: Acre está entre os três estados que mais desmatou no mês de agosto


Em agosto deste ano, o estado desmatou 267 Km², enquanto no mesmo mês do ano passado desmatou 98 Km². O número de desmatamento Amazônia Legal é o mais alto dos últimos dez anos. Acre está entre os três estados da Amazônia Legal que mais desmatou em agosto, aponta levantamento
Divulgação/Polícia Civil
Um levantamento do Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) revelou que o desmatamento no Acre aumentou 172% comparando ao mês de agosto deste ano, com o mesmo período do ano passado. O estado é o terceiro da Amazônia Legal que mais desmatou neste período, ficando atrás apenas do Pará e Amazonas.
O dado compõe o Boletim do Desmatamento da Amazônia Legal divulgado pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). Os estados da Amazônia Legal que aparecem no estudo são: Acre, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e Amapá. E nesta edição foi acrescentado o estado do Maranhão.
Em agosto deste ano o estado desmatou 267 Km², no mesmo mês do ano passado foi registrado o desmatamento de 98 Km², de acordo com o levantamento.
Com este aumento, o Acre é responsável por 18% do crescimento do desmatamento na Amazônia Legal que aumentou em 68%. A área total desmatada na região foi de 1.499 km² de floresta. O número é o mais alto dos últimos dez anos. No ano passado o desmate foi de 893 Km².
Desmatamento no Acre cresceu 172%
Reprodução
Situação crítica
No Acre, a cidade com situação crítica é Sena Madureira, com 41 km² de área de florestas derrubadas neste período. No ranking, a cidade acreana é a quinta com maior área derrubada da região da Amazônia.
Além disso, o levantamento ainda mostra a situação dentro das unidades de conservação. No estado, a Reserva Extrativista Chico Mendes é a segunda área com maior derrubada entre os estados da Amazônia legal, com 35 Km² derrubados, ficando atrás apenas da Florex Rio Preto – Jacundá, em Rondônia.
O Pará lidera, pela quinta vez consecutiva, o ranking dos estados com maior área derrubada e chegou a 553Km², seguido do Amazonas com 290 Km².
Degradação
O estudo ainda aponta a degradação de áreas de floresta que no Acre teve uma redução de 3%. No ano passado a área por quilômetros quadrados era oito e neste ano caiu para três.
A degradação de áreas florestas na Amazônia, que chegaram a 659 km² em agosto e também apresentou uma queda, no cenário geral, de 30%. No ano passado a área degradada era de 922 Km².
Programa de Regularização
Em julho deste ano, um grupo composto por membros de pelo menos quatro secretarias estaduais foi criado para desenvolver ações e mecanismos para definir a implementação das ações de efetivação da compensação de Reserva Legal no estado do Acre, que atua na regeneração das áreas de florestas que seria feito por meio de Cotas de Reserva Ambiental (CRA).
No Acre, a recuperação é feita por meio de viés econômico, no qual o estado apoia o produtor a recuperar a área por meio de regeneração, ou seja, quando é feito o isolamento e deixa a floresta sozinha se regenerar, de forma natural. Ou ele vai pegar mudas e fazer um novo plantio.
O G1 tentou contato com o presidente do Instituto de Meio Ambiente do Acre (IMAC) para tentar informações de como está a implementação do CRA, mas não obteve resposta até a última atualização desta reportagem.

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line