Amazonas não atinge meta do Ideb para o ensino médio desde 2011


No ranking nacional do ensino médio, em 2019, Amazonas figura na 22ª posição. Nos anos iniciais e finais do ensino fundamental, estado conseguiu superar metas. Aulas presenciais foram retomadas na rede estadual de ensino no Amazonas no dia 10 de agosto, após suspensão por conta da pandemia.
Divulgação/Seduc
O Amazonas alcançou 3.6 no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2019 do ensino médio, conforme dados divulgados nesta terça-feira (15) pelo Ministério da Educação (MEC). Embora tenha apresentado um leve crescimento em relação a 2017, o estado não atinge a meta nessa etapa de ensino desde 2011.
O índice considera a aprovação de alunos e desempenho nas provas de matemática e português. Em todo o País, o ensino médio não atinge nível esperado de qualidade desde 2013. No ensino fundamental, o Brasil atingiu as metas nas séries iniciais, mas falhou nos anos finais.
No ranking do Ideb de estados para ensino médio, o Amazonas figura na 22ª posição. Nos anos iniciais e finais do ensino fundamental, o estado conseguiu superar as metas (veja detalhes abaixo).
Ideb no Amazonas – Ensino Médio
Em 2019, o Ideb do Amazonas para o ensino médio foi de 3.6, enquanto a meta era de 4.0. Em um cenário apenas com as escolas da rede estadual de ensino, o Ideb chegou a 3.5, mas a meta era de 3.8.
Foram calculados os dados de 58 municípios do Amazonas em relação a estudantes do ensino médio da rede estadual de ensino. Dentre eles, 40 cidades tiveram Ideb até 3.1; 18 tiveram Ideb de 3.2 a 4.1; e nenhuma foi superior a 4.2.
Ainda sobre o ensino médio, o número de escolas da rede estadual calculadas foi de 140. Dessas, 51 tiveram Ideb de até 3.1; 56 atingiram de 3.2 a 4.1; 27 alcançaram de 4.2 a 5.1; e apenas 6 escolas atingiram 5.2 ou mais.
Ensino Fundamental
No Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2019 do ensino fundamental, o Amazonas ficou acima da meta, tanto nos anos iniciais quanto nos anos finais.
Anos iniciais (1 ao 5º ano)
Os dados do Inep apontam que, nos anos iniciais do ensino fundamental (1º ao 5º ano), a rede privada do Amazonas não atingiu a meta proposta para 2019, com avaliação de 7.0, enquanto a meta era 7.1
Na rede estadual, o Amazonas superou a meta geral, com avaliação de 5,8 e meta de 5,2. Na rede municipal, 27,1% atingiu a meta nos anos iniciais.
Anos finais (6º ao 9º ano)
Na rede pública para os anos finais do ensino fundamental (6º ao 9º ano), o Amazonas atingiu a meta de 4.3, chegando à avaliação de 4.5. No entanto, apenas 16,4% dos municípios do estado atingiram a avaliação proposta.
Observando apenas a rede estadual, 31,7% atingiram a meta proposta. Na rede municipal, o índice é de 19%. Na rede privada, as escolas particulares não bateram a meta de 6,9 para 2019, ficando em 6,2.
O que é Ideb?
O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) é um indicador de qualidade do ensino fundamental e do ensino médio. Foi criado em 2005 pelo MEC, que o divulga, desde então, a cada dois anos.
O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulga o Ideb de cada escola, município e estado. Além de calcular as médias, o órgão detalha o desempenho das redes municipais, estaduais, públicas e privadas.
Os índices são sempre calculados em três etapas da educação básica:
anos iniciais do ensino fundamental (1º ao 5º ano);
anos finais do ensino fundamental (6º ao 9º ano);
ensino médio.
Como o Ideb é calculado?
O Ideb é um índice de 0 a 10, calculado com base em dois fatores:
índices de aprovação/reprovação dos alunos e de abandono dos estudos, medidos no Censo Escolar;
notas em provas de português e de matemática no Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica).
Para ter um bom Ideb, é preciso ter baixas taxas de reprovação e de abandono de estudos, além de resultados satisfatórios no Saeb. Essa avaliação é aplicada sempre no fim de cada etapa escolar: 5º e 9º ano do ensino fundamental, e 3º ano do ensino médio.
O que os alunos de ensino médio sabem de matemática e português?
Analisando as médias nacionais do Saeb (um dos componentes do Ideb), conclui-se que o Brasil está nos seguintes patamares de conhecimento:
Matemática: os alunos são capazes de resolver operações básicas, reconhecer proporções, associar uma tabela a um gráfico e fazer progressões aritméticas. Não conseguem, em geral, determinar probabilidade, calcular porcentagem, resolver uma expressão algébrica ou analisar formas geométricas.
Português: os estudantes têm habilidade para reconhecer uma opinião explícita em um artigo ou um tema de uma crônica, interpretar tirinhas e inferir o sentido de uma palavra em uma música. Apresentam dificuldade em identificar argumentos nos textos, reconhecer relações de causa e consequência, compreender ironia ou humor e detectar a informação principal em reportagens.
Leitores On Line