Alckmin é pressionado a desistir da coordenação de campanha de Covas

A última ofensiva da Lava Jato de São Paulo deve provocar uma baixa na campanha do prefeito Bruno Covas, que tentará a reeleição em novembro, diz a Crusoé.

Após ser indiciado pela Polícia Federal por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e caixa dois no esquema da Odebrecht, Geraldo Alckmin é pressionado a desistir de ser o coordenador do plano de governo do atual prefeito.

“A ideia era prestigiar Alckmin com a função após o pífio desempenho que o ex-governador teve na última eleição presidencial. Mas depois da conclusão de PF pelo indiciamento do tucano, acusado de ter recebido 10,3 milhões de reais de caixa dois nas eleições de 2010 e 2014, Bruno Covas sinalizou para Alckmin sair de cena, segundo aliados do prefeito.”

Com Agências

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line