Realidade imprópria


Cerca de 40% do lixo urbano produzido no Brasil ainda é levado para lixões; em Rondônia, investimentos da MFM Soluções Ambientais ajudam a mudar cenário Aterro sanitário Unidade Cacoal, célula de disposição final e lagoas de tratamento
Divulgação Foco MKT
A publicação Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil – 2016, da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), mostra que mais de 29,7 milhões de toneladas de resíduos produzidos no País foram dispostos a céu aberto.
Isso corresponde a 41,6% do montante de resíduos coletados em todo o território nacional. Uma realidade que atinge 3.331 municípios brasileiros. Cerca de 7 milhões de toneladas de resíduos não foram sequer coletadas.
Apesar disso, o País tem alto índice de coleta de resíduos, com 91%: 71,3 milhões de toneladas coletadas do total de 78,3 milhões de resíduos gerados.
Os recursos aplicados pelos municípios em 2016 para fazer frente a todos os serviços de limpeza urbana no Brasil foram, em média, de cerca de R$ 9,92 mensais por habitante.
RO: metade com destino adequado
No Estado de Rondônia, os investimentos da MFM Soluções Ambientais ajudam a promover o fim dos lixões e abrem caminhos para a disposição adequada de resíduos urbanos no Estado. Atualmente, dos 52 municípios rondonienses, 28 mantém parcerias com a MFM para disposição do lixo urbano nos aterros de Vilhena, ao Sul do Estado, e Cacoal, no Centro.
Com a inauguração da unidade de Ji-Paraná, também na região central, 36 municípios de Rondônia poderão ser atendidos pelos serviços realizados. Uma população de cerca de 800 mil habitantes no Estado é beneficiária direta das parcerias.
Source: http://g1.globo.com/dynamo/rss2.xml

Loading...